‘Se correr a Dengue pega, Se ficar a Covid come’

Por: Redação

O carro, o avião e até o elevador são usados pelo Aedes aegypti para pega carona no meio de transporte usado por humanos para se locomover em busca de alimento ou assegurar sua reprodução. Afirmou o biólogo e epidemiologista Luciano Pamplona, o mosquito – que atua como vetor transmissor dos vírus da dengue, febre amarela, zika e chikungunya – é originário do Egito, na África, e veio para o Brasil a bordo dos navios negreiros ainda durante o período colonial.

No período de 2008 a 2019, foram confirmados no Brasil 6.429 óbitos de dengue, distribuídos em todas as regiões do país. O ano com maior número de óbitos foi 2015, com 986 mortes confirmadas (Tabela 1), e este ano também concentrou o maior número de casos da série histórica. Fonte: Sinan.

Leia também: Dengue mais Covid-19 são 662.378 mil mortes no Brasil

O Sars-CoV-2 (Covid-19) infecta e destrói as células pulmonares, desencadeando uma inflamação severa, que resulta no comprometimento da integridade e da função pulmonar, além de afetar outros tecidos e órgãos.

A taxa de transmissão da doença chegou a (1,80) no Distrito Federal. O dígito aponta que um grupo de 100 pessoas tem capacidade de infectar outras 180.

De acordo com diretriz da Organização Mundial de Saúde (OMS), quando a taxa está acima de (1), a pandemia está avançando.

A Vigilância Sanitária voltou a recomenda que estudantes voltem a usar máscara contra a Covid-19 nas escolas públicas e privadas do Distrito Federal. No dia 2 de junho, a Secretaria de Saúde já havia recomendado o retorno da proteção facial em ambientes fechados e também em locais ao ar livre, com aglomeração de pessoas.

O uso não é obrigatório, “contudo, tecnicamente, é recomendado o uso da máscara”, apontou a Vigilância Sanitária. O órgão divulgou nota com a orientação no sábado (11).

Desde o início da pandemia, 31 de dezembro de 2019, até a última sexta (10), 11.699 pessoas perderam a vida por conta da Covid-19, no Distrito Federal. Ao todo, 740.912 pessoas haviam sido infectadas.

No mundo – 6,31 milhões de pessoas perderam suas vidas – segundo o Our World In Data de acordo com sua última atualização há 2 dias.

Comentários