No segundo trimestre, lucro do BRB cresceu 70% alcançando R$ 95 milhões

28 de Agosto de 2019


Paulo Henrique Costa

O Banco de Brasília (BRB) alcançou lucro líquido de R$ 95,3 milhões no segundo trimestre de 2019, crescimento de 69,7% em relação ao mesmo período de 2018, com retorno sobre o patrimônio líquido médio de 19,0%. No semestre, o lucro líquido foi de R$ 160,9 milhões, evolução de 18,9%
quando comparado ao mesmo período do ano passado.


O aumento no lucro líquido foi gerado pelo aumento da margem financeira, pela recuperação de créditos inadimplentes, pelo avanço das receitas com tarifas e prestação de serviços, e pelo controle das despesas
com pessoal e administrativas.


Segundo o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, “os resultados alcançados no primeiro semestre refletem a energia e o compromisso de toda a equipe do BRB, a mudança no direcionamento estratégico e a ampliação do relacionamento com os clientes. O BRB aumentou seu impacto no desenvolvimento econômico do DF e voltou a crescer. Sinal de novos tempos”.


A carteira de crédito ampla chegou a R$ 9,6 bilhões e apresentou crescimento de 5,2% em 12 meses e de 3,9% no trimestre. O principal destaque foi o crédito consignado, cujo saldo alcançou R$ 5,2 bilhões com
evolução de 14,1% em 12 meses e de 5,0% no trimestre. Também merecem destaque as operações de crédito rural, que encerraram o semestre com saldo de R$ 248 milhões e evolução de 4,8% em 12 meses e de 16,2%
no trimestre.


No primeiro semestre de 2019, foram contratadas cerca de R$ 1,9 bilhão em operações de crédito, um crescimento de 73,5% comparado ao mesmo período do ano passado. No segundo trimestre de 2019, o montante contratado foi de R$ 1,2 bilhão, avanço de 143,9% se comparado com o segundo trimestre de 2018.


As despesas com provisão para devedores duvidosos foram de R$ 6 milhões no trimestre e R$ 61 milhões no semestre, com quedas de 90,2% e 35,1% em relação aos mesmos períodos do ano de 2018. A redução na
despesa decorreu da recuperação de créditos inadimplentes.


Inadimplência


A inadimplência encerrou o primeiro semestre de 2019 em 2,0% com queda de 0,6 p.p. em relação a março de 2019 e estável em relação a junho de 2018, e permanece abaixo da média de mercado, de 2,9%. Os ratings
de menor risco, AA-C, aumentaram a sua participação na carteira para 93,8% em junho, ante 92,7% em março e 91,6% em junho de 2018.


As receitas com prestação de serviços e tarifas alcançaram R$ 97,2 milhões no segundo trimestre deste ano, crescimento de 8,6% ante o mesmo período de 2018 e de 8,5% no trimestre. No semestre, essas receitas chegaram a R$ 186,8 milhões e evolução de 3,7%, quando comparadas ao primeiro semestre de 2018.


Merecem destaque as receitas com corretagem de seguros e intercâmbio, que cresceram, respectivamente,
36,6% e 15,4% em relação ao segundo trimestre de 2018 e 22,9% e 11,9% na comparação semestral.

Controle de despesas


O controle das despesas foi fundamental para a evolução do lucro líquido do BRB. Os gastos com pessoal apresentaram crescimento de 2,1% no segundo trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2018,
e de 3,8% na comparação semestral.


As outras despesas administrativas apresentaram queda de 4,9% no segundo trimestre de 2019 quando comparadas ao segundo trimestre de 2018, e de 5,4% no semestre em relação ao primeiro semestre de 2018. A queda foi motivada pela redução das despesas com processamento de dados, comunicações, alugueis, transportes e propaganda e publicidade.


Basileia


O BRB encerrou o semestre com índice de Basileia de 15,7%, dos quais 13,5% no capital nível I e 2,2% no capital nível II, acima do nível regulatório de 10,5%.


Em junho de 2019, o BRB possuía um total de 639 mil clientes, crescimento de 4,8% em 12 meses. Os clientes pessoa física representam um total 614 mil, aumento de 5,4% no período. Já os clientes pessoa jurídica são
25 mil e avançaram 4,0% nos últimos 12 meses.


O BRB conta com 128 agências distribuídas em todas as regiões do Distrito Federal e entorno, além de presença nos estados de Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.


Ao número de agências, somam-se 141 correspondentes bancários (BRB Conveniência) e 576 ATM próprios, complementados por mais de 23 mil ATM da Rede 24 horas, garantindo ao BRB cobertura de atendimento
em todo território nacional.


O relatório completo você encontra em ri.brb.com.br.


Assessoria de Comunicação do BRB

Leave a Comment