“Se eu quiser fumar eu fumo”…Um transplante de pulmão entre duas pessoas vivas custa cerca de US$ 100 mil dólares

Foto: Ivan Rodrigues, ilustrativa, disponível para uso.

São 42.306 pessoas, segundo dados 2017, do Ministério da Saúde,  que aguardam por um transplante de órgão hoje no Brasil.

A cirurgia de pulmão está entre as mais complexas considerada pela medicina. A Santa Casa de Porto Alegre é o centro de referência em transplantes de pulmão do país.

A lista de espera por transplantes de pulmão na Santa Casa é de 60 pacientes. As chances de os pacientes morrerem em dois (2 anos) chega a 50%. Ou seja, caso esses pacientes não sejam transplantados, trinta (30) devem morrer no período de espera por um órgão.

O procedimento também é feito em hospitais de São Paulo e Fortaleza. Foram realizados 74 transplantes de pulmão em 2015 e 72 até agosto de 2016, segundo o Ministério da Saúde  [182 pessoas estão à espera do órgão]. 

O transplante intervivos pode ser feito entre familiares que apresentem compatibilidades. O SUS não tem cobertura para o transplante intervivos.

De acordo com dados solicitados pelo site #SaúdeDireitosSociais&Inovações ao Ministério da Saúde [2,3 mil pessoas morreram à espera de um órgão no Brasil em 2015]. 

O principal fator da necessidade de transplantes de pulmão ainda é o tabagismo que afeta fumantes ativos e passivos. 

As pessoas precisam se declarem doadoras e que os familiares saibam disso.

“Eu, Ivan Rodrigues da Rocha, sou doador de todos os meus órgãos e faço disso público, perante a meus familiares e internautas”.

E você? 

Leave a Comment