Mendanha, que é presbítero de uma congregação evangélica e defensor dos princípios cristãos, segue em campanha, apoiando Bolsonaro sem se preocupar com o jogo sujo de seus adversários

Por: Redação

Único candidato capaz de vencer o atual governador Ronaldo Caiado (União), em um possível segundo turno, Gustavo Mendanha sofre agressões de seus oponentes, mas mantém a posta de um verdadeiro cristão.

Mesmo criticado, Mendanha vai manter até o último minuto, o apoio ao presidente Bolsonaro (PL), gesto feito no ano passado, antes mesmo do chefe do executivo federal anunciar apoio ao pré-candidato Vitor Hugo (PL), que não decolou nas pesquisas e espera um milagre acontecer para superar a baixa intenção de votos, nos atuais institutos de pesquisas.

O ex-prefeito de Aparecida justifica que a porta aberta para Bolsonaro será bastante útil para a sua vitória, em um provável segundo turno contra Caiado.

Além dessa estrategia política futura, Mendanha tem afinidade com o presidente. É presbítero de uma congregação evangélica e defensor dos princípios cristãos e da família.

Segundo Turno em Goiás

Tanto as pesquisas qualitativas como as quantitativas, expõe a leitura de que o atual governador já não conseguirá reverter o jogo para se reeleger em 1º turno como chegou a comemorar antes.

Mendanha, líder da maior frente de oposição ao atual governador, segue como o segundo colocado em todos os levantamentos, empatado tecnicamente com o ex-governador Marconi Perillo(PSDB), que terá até o dia 5 de agosto para definir o seu destino político.

Perillo não anunciou se é candidato ao governo ou se irá disputar mesmo uma vaga na Câmara dos Deputados para ajudar o seu partido a eleger uma boa bancada federal.

No entanto, analistas políticos dizem que a entrada de Marconi do jogo seria estratégico para lacrar um segundo turno mais garantido. Mas isso os caiadistas não deseja.

Interlocutores de Caiado tem flertado com Marconi para desistir da ideia de concorrer ao governo.

Na matemática política, quanto menos candidatos na disputa melhor para quem vai a uma reeleição. Nesse caso, o próprio Caiado.

Na dúvida, sobre esse cenário, Gustavo Mendanha fica com um olho no peixe e outro no gato: ou seja, tanto nos movimentos do ex-governador como do atual inquilino do Palácio das Esmeraldas.

A agenda do ex-prefeito de Aparecida, nesse período de pré-campanha, tem sido intensificada.

Sem dúvida, é quem estar mais presente, com reuniões políticas em todos os 246 municípios goianos, bem a frente de Caiado, que mesmo montado na máquina pública, acredita não haver necessidade. Apoiadores de Ronaldo Caiado em Goaiânia, a capital do Estado, esnobam as lideranças do interior.

Mendanha também imprimiu maior visibilidades na região do Entorno, ambiente com massificação bolsonarista, conseguindo apoios de prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e lideranças de organizações civis e religiosas.

A luta dele é se qualificar junto ao eleitorado para chegar no segundo momento das eleições. Se isso acontecer Caiado terá uma pedreira oposicionista que pode o levar a derrota.

Comentários