Paralisação contra volta as aulas presenciais na rede pública do DF – é política!

Por: Redação

A campanha de vacinação contra a Covid-19 direcionada aos professores da rede pública de ensino do Distrito Federal foi concluída em (11/7), segundo dados da Secretaria de Educação, 100% da categoria (56 mil) foram imunizados.

Com o argumento da “falta de diálogo”, a diretora do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro-DF), Rosilene Corrêa, convocou a categoria para paralisar as atividades na próxima quarta-feira (3/11), dia que está marcada a volta das aulas (100%) presenciais na rede pública de ensino.

“O governo simplesmente decretou o retorno de 100% dos nossos estudantes para as aulas presenciais”, afirma Rosilene em vídeo divulgado à categoria.

As aulas presenciais voltam a ser obrigatórias para 100% dos alunos no estado de São Paulo a partir desta segunda-feira (18) na rede estadual.

De igual modo, a partir de segunda-feira (25/11), já começaram as aulas presenciais obrigatórias na rede estadual de ensino do Rio de Janeiro.

O Sinpro-PT não pode se valer dessa jogada política de paralisação, daquilo que nem começou para ser chamado de paralisação, em razão de desavenças políticas ideológicas de um sindicato (chapa vermelha), que se posiciona contra o governador Ibaneis Rocha (MDB), por questões políticas para prejudicar alunos e pais na volta da normalidade assim como tem ocorrido em vários estados.

Comentários