Falta de gestão no Detran-DF faz aumentar demanda reprimida

Por: Redação

Por Toni Duarte | Radar DF

Cerca de 22 mil vistorias de veículos seguem acumuladas em decorrência da péssima gestão do Departamento de Trânsito do DF, que, até agora, não conseguiu vencer os gargalos no sistema informatizado, o que transforma o órgão no pior prestador de serviço ao cidadão brasiliense. No relatório de gestão do Detran, realizado pela Ouvidoria do órgão, registrou durante o 2º Trimestre de 2021 um total de 7.788 (sete mil, setecentas e oitenta e oito) manifestações da população, uma média de 2.500 demandas por mês.

Leia também: Detran-DF sobra dinheiro em caixa, ao mesmo tempo que investimentos em educação, fiscalização e engenharia não chegam a 1%

Conforme o relatório realizado pela Ouvidoria, as demandas se classificam como Reclamação, Solicitação, Informação, Sugestão, Elogio e Denúncia. O que chama a atenção no levantamento são as queixas contra a má-prestação de serviço que giram em torno de 90% dos registros.

Observe o relatório aqui O presidente do Sindetran/DF, Fábio Medeiros, disse que os problemas na prestação de serviços do Detran DF começaram se avolumar em 2020 com a troca do sistema Gtran, operados por servidores, que deixou de fazer os processos de vistorias veicular. Toda essa demanda, segundo ele, foi transferida para o sistema maestro, operado por empresas de suporte técnico de informática.

Os serviços oferecidos pelo Detran Digital passam por contante lentidão e interrupções temporárias. Dificilmente o cidadão consegue consultar a segunda via de multa ou agendar vistoria. O sistema não rejeita duplicidades de pedidos. “O Detran precisa melhorar a sua imagem perante a população. Não dá para vender um serviço que não funciona como esse aplicativo. Como servidores defendemos e apoiamos as novas tecnologias que funcionem para que o cidadão, que paga pelo serviço, fique satisfeito com o atendimento. No entanto, o que se observa, é que o Detran do DF está caminhando para trás por falta de gestão”.

Outro assunto polêmico, é a terceirização do serviço de vistoria para a transferência de propriedade do veículo. O caso esbarrou na justiça. Mas isso é outra história.

Comentários