COVID-19 | 11 pessoas a cada milhão de vacinados provavelmente sofrerá anafilaxia

Por: Ivan Rodrigues

CNBC.com’s – Noah Higgins-Dunn

Um novo estudo do CDC publicado na quarta-feira descobriu que as pessoas que recebem vacinas Covid-19 apresentam anafilaxia em uma taxa 10 vezes maior em comparação com a vacina contra a gripe.

A anafilaxia é uma reação alérgica grave e com risco de vida que pode ocorrer após a vacinação, embora a condição seja rara, disse o CDC – Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos.

As reações alérgicas graves entre os receptores da vacina Covid ainda são consideradas raras e as drogas são seguras para as pessoas usarem, disse um alto funcionário do CDC a repórteres antes da publicação do estudo.

A vacina contra a Covid-19 parece causar reações alérgicas graves a uma taxa significativamente maior do que outras vacinas entre a primeira leva de americanos a receber as imunizações que salvam vidas, embora as reações ainda sejam raras, disse o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos.

O CDC disse que houve 21 casos de anafilaxia – uma reação alérgica grave e com risco de vida que ocorre raramente após a vacinaçãode quase 1,9 milhão de pessoas que receberam sua primeira injeção da vacina Covid-19 da Pfizer em meados de dezembro, de acordo com a um estudo publicado no Relatório Semanal de Morbidez e Mortalidade do CDC na quarta-feira.

Isso significaria que cerca de 11 pessoas em cada milhão de vacinados provavelmente sofrerá anafilaxia, de acordo com dados do CDC – cerca de 10 vezes maior do que a taxa da vacina contra a gripe.

A Dra. Nancy Messonnier, diretora do Centro Nacional de Imunização e Doenças Respiratórias do CDC, disse à repórteres em uma teleconferência que as inoculações eram seguras para uso público e que as reações alérgicas graves, embora maiores, ainda eram consideradas raras.

“A taxa de anafilaxia para as vacinas Covid-19 pode parecer alta em comparação com as vacinas contra a gripe, mas quero tranquilizá-los de que esse ainda é um resultado raro”, disse Messonnier na ligação antes do lançamento do estudo. Ela acrescentou que os dados se aplicam às vacinas da Pfizer e da Moderna , que usam tecnologia de mRNA semelhante.

Representantes da Pfizer e Moderna não estavam imediatamente disponíveis para responder ao pedido de comentários da CNBC.

Das 21 pessoas que tiveram reações alérgicas graves, 17 delas tinham um histórico documentado de alergias ou reações alérgicas. Sete dessas pessoas tinham histórico de anafilaxia, descobriu o estudo.

A maioria das pessoas teve os sintomas 15 minutos após a administração da vacina, embora a anafilaxia possa ocorrer horas depois de alguém ser vacinado, disse o CDC. Entre as 20 pessoas com informações de acompanhamento disponíveis, todas se recuperaram ou tiveram alta para casa, concluiu o estudo.

“Claro, todos nós esperaríamos que qualquer vacina tivesse zero eventos adversos, mas mesmo com 11 casos por milhão de doses administradas, é uma vacina muito segura”, disse Messonnier. Ela acrescentou que há “esforços tremendos” em andamento para tentar determinar exatamente o que está causando as reações alérgicas graves.

O coronavírus está matando uma média de 2.670 pessoas nos Estados Unidos todos os dias, de acordo com uma análise da CNBC de dados compilados pela Universidade Johns Hopkins, tornando a vacina uma “proposta de bom valor”, disse Messonnier.

De acordo com a orientação provisória do Comitê Consultivo sobre Práticas de Imunização do CDC, atualizada pela última vez em dezembro, todos devem ser observados por 15 minutos após a vacinação para garantir que não desenvolvam sintomasPessoas com histórico de anafilaxia devem ser observadas por 30 minutos, aconselhou o comitê.

O comitê também sugeriu que as pessoas que desenvolveram anafilaxia após a primeira dose não deveriam receber a segunda. Ambos os medicamentos requerem duas aplicações com intervalo de semanas para eficácia total. O estudo do CDC disse que cada local de vacinação deve ter suprimentos como epinefrina prontos para tratar pacientes que podem desenvolver reações graves.

“Felizmente, sabemos como tratar a anafilaxia e estabelecemos disposições para garantir que, nos locais de imunização, as pessoas que administram a vacina estejam prontas para tratar a anafilaxia”, disse Messonnier.

Comentários