Depois da Baleia Azul – deputado Rodrigo Delmasso pede investigação contra ‘Homem Pateta’ personagem que estimula suicídio entre menores

25 de Junho de 2020

Redação


Foto: Reprodução/Facebook

Delmasso protocolou uma representação no Ministério Público Federal pedindo a imediata retirada do perfil de Jonathan Galindo, no Facebook, rede social utilizada para atrair crianças e adolescentes

O distrital Rodrigo Delmasso (Republicanos) pediu ao Ministério Público Federal, investigação do perfil em nome de Jonathan Galindo, conhecido como ‘Homem Pateta’, que faz apologia e incita a prática de suicídio entre menores.

A população ainda lembra do jogo Baleia Azul que escancarou o tabu do suicídio juvenil.

O misterioso jogo ganhou repercussão no país no início de maio de 2017, quando uma adolescente de 16 anos foi achada morta dentro de uma represa no pequeno município de Vila Rica (Mato Grosso). Ela deixou cartas onde falava sobre as regras do desafio, uma lista de tarefas com cronogramas marcados, e cortes nos braços e nas pernas. Desde então, uma série de informações desencontradas começaram a circular sobre o desafio. Em meio a um mar de boatos, no entanto, uma coisa ficou certa: a de que o jogo escancarou a necessidade de se discutir um tabu: o do suicídio entre adolescentes, um fenômeno que cresce no mundo inteiro, de acordo com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Na representação, o parlamentar pede apuração com a responsabilização dos atos cometidos “em razão de suposta prática criminosa de perturbação de menores e incitação a prática de suicídio”. Delmasso menciona que o perfil usa mensagens de terror para atrair crianças e adolescentes. A informação foi noticiada pela delegada Fernanda Martins, de Formosa (GO), nas redes sociais, conforme faz menção Delmasso.

“O perfil do suposto criminoso utiliza uma máscara que lembra o personagem da Disney, o Pateta, porém um pouco deformada e não possui muitas postagens. Porém, o perfil faz desafios para que o interessado possa enviar uma mensagem privada, e em resposta passa a enviar vídeos, textos, áudios e faz até ligação por vídeo ao vivo com essas crianças e adolescentes. Indiscutível que essas mensagens causam desconforto, medo, terror e podem até induzir a prática de suicídio”, diz o parlamentar.

O perfil, segundo Delmasso, surgiu em 2017, em países de língua espanhola, e atualmente está migrando para o Brasil. Ele menciona ainda que a Polícia Civil e pelo Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional do Tribunal de Justiça de Santa Catarina já havia alertado sobre o conteúdo do perfil.

Ele pede a retirada imediata do referido o perfil das redes sociais e que seja aplicada uma indenização no valor de R$ 1 milhão, que, paga a ele, deverá ser “revertido em projetos sociais de menores abandonados”.

Leave a Comment