Governo faz o dever de casa e DF é líder em número de leitos de UTI, equipamentos e profissionais de saúde

09 de Maio de 2020

Redação

Atualmente, são 172 leitos exclusivos para atender esses casos no Distrito Federal, com uma taxa de ocupação de 29%, abaixo do esperado pelos gestores

Segundo pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Distrito Federal é o local com maior número de leitos de UTI, respiradores, médicos e enfermeiros do país para cada 100 mil habitantes. A pesquisa está disponível no site do IBGE.

De acordo com o levantamento, nas unidades de saúde do DF o índice foi de 30 leitos de UTI a cada 100 mil habitantes, mostrando ser o mais bem equipado do país no atendimento de pacientes graves com Covid-19. Atualmente, são 172 leitos exclusivos para atender esses casos no Distrito Federal, com uma taxa de ocupação de 29%, abaixo do esperado pelos gestores.

“Esse número nos dá mais segurança para planejarmos nossas ações estratégicas. Traçamos a meta para a taxa de ocupação entre 40% a 50%. Então, nosso trabalho continua, com ampliação e ativação de mais leitos, conforme o perfil epidemiológico for se alterando ao longo da pandemia”, informou o secretário de Saúde, Francisco Araújo.

A pesquisa também detalhou a distribuição de respiradores, equipamentos que realizam ventilação mecânica em pacientes com dificuldades respiratórias graves. O Distrito Federal lidera com índice de 63 respiradores por 100 mil habitantes, seguido pelo Rio de Janeiro (42), São Paulo (39), Mato Grosso (38) e Espírito Santo (35).

Profissionais

Além disso, os dados mostram que, em 2019, o DF também possuía a melhor distribuição de médicos e enfermeiros do país. No primeiro caso, foram 338 profissionais por 100 mil habitantes, e no segundo, 198 profissionais por 100 mil habitantes.

Os números são reflexo das ações da Secretaria de Saúde para nomear novos profissionais. Neste ano, a pasta já chamou um total de 1 mil servidores. Contando com a última convocação, de 151 profissionais de saúde, foram nomeados neste ano 773 médicos, 152 enfermeiros, 74 especialistas em Saúde e um técnico em Saúde.

Em 2019, a pasta convocou mais 376 profissionais de saúde, sendo 200 médicos, 131 técnicos de enfermagem, 27 especialistas em Saúde e 18 enfermeiros.

Segundo a subsecretaria de Gestão de Pessoas da Secretaria de Saúde, Silene Almeida, o governo tem empenhado ao máximo para promover as nomeações dos concursados. Com isso, garantir o melhor atendimento à população e o reforço para as equipes.

“A missão que recebemos foi de fortalecer a rede de saúde e desenvolver ações de valorização dos servidores. Era preciso resgatar a dignidade e a autoestima de nossos colegas depois de tempos tão difíceis. Neste contexto, envidamos todos os esforços para garantir que mais profissionais fossem chamados”, afirmou a subsecretaria.

Ações

De acordo com o secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Ricardo Tavares, além dos números, o GDF adotou medidas antes mesmo dos casos de coronavírus se espalharem pelo Distrito Federal. Entre elas, a Secretaria de Saúde constituiu o COE-Covid-19, que é uma equipe de gestores técnicos para monitorar os dados, informações e atualizações científicas.

“Traçamos ações estratégicas e fluxos operacionais, com reestruturação dos hospitais, contratação e nomeação de novos servidores de várias categorias, reforçando a força de trabalho, ampliação da capacidade instalada de leitos gerais e de UTI, vagas de hemodiálise e o aumento do giro de leitos”, pontuou Ricardo Tavares.

Para mais informações sobre a Covid-19 e o que o DF está fazendo no enfrentamento ao coronavírus, basta acessar o site coronavírus DF aqui

Por Redação Jornal de Brasília

Leave a Comment