Irresponsáveis | Coronavírus no DF vira caso de Polícia

Por: Ivan Rodrigues

10 de Março de 2020

Redação

Paciente: C.M.P está sendo medicada com medicações ‘alternativas’ baseada em experiência vinda da China e estudos publicados pela mesma

A paciente de 52 anos, C.M.P – que pediu anonimato com seu nome – diagnosticada com o novo coronavírus no Distrito Federal, rejeitada por seu Hospital Daher no Lago Sul [atitude do hospital criticada pelo secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo], continua internada em isolamento na UTI do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), mas seu marido, que também tem 52 anos, que vamos manter o anonimato, que deveria está em quarentena, fato recusado pelo mesmo, teve seu direito de ir e vir questionado judicialmente pelas autoridades de saúde.

A quarentena domiciliar está entre as medidas recomendadas pela OMS para pacientes que mesmo assintomáticos podem transmitir o novo coronavírus.

“É melhor que esse isolamento seja feito em casa. No hospital, aumentam as chances de que mais pessoas entrem em contato com o paciente, podendo propagar doenças entre outras pessoas que estão em situações mais graves e com a imunidade baixa”, diz a pneumologista Patrícia Canto, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A mulher segue internada em isolamento na Unidade de Terapia Intensiva. Ela respira com ajuda de aparelhos, apresenta febre alta e também tem suporte hemodinâmico para ajudar na circulação sanguínea.