GDF poderá ter que assumir Hospital da Criança de Brasília e presidente afastado ataca promotora Marisa Isar

Por: Ivan Rodrigues

Em seminário promovido pela Câmara Legislativa no dia (5), para debater a gestão da saúde pública no Distrito Federal, o deputado distritais Wasny de Roure, presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura – CESC, afirmou que o Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (ICIPE), associação de direito privado, que administra o Hospital da Criança o procurou afirmando que entregaria a gestão do hospital para a Secretaria de Saúde.

O site procurou o parlamentar no dia de hoje, (09), para maiores informações sobre o tema.

Wasny afirmou que foi procurado pela pessoa da senhora Ilda Peliz, presidente da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace), para relatar as dificuldades gestoras, financeiras e judiciais que o ICIPE vem passando.

O presidente afastado do HCB, Renilson Rehem de Souza, por suspeita de irregularidades nos contratos de gestão firmados entre a Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal – SES/DF e o Instituto de Câncer Infantil e Pediatria Especializada – ICIPE, pelo Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios – TJDFT solicitou, em mensagens enviada pelo WhastApp, ao qual o site teve acesso pedido de apoio atacando a promotora de justiça Marisa Isar. 

                                         Foto: #SaúdeDireitosSociais&Inovações

Para as pessoas amigas se pronunciarem na ouvidoria do MP”. “É para defender o Hospital da Criança dos ataques de UMA promotora do MP”. “Protestando contra a perseguição que o Hospital da Criança está sofrendo da Promotora Marisa Izar e qto o Hospital é importante para as crianças de Brasília, entorno e de outros estados”. Renilson Rehem de Souza

De acordo com a ação do MP que tramita no Tribunal de Justiça do DF, a contratação do ICIPE para gerir o Hospital da Criança foi feita sem licitação e sem justificativa de preço e fonte. No processo, o MP também afirma que a prestação de contas do centro hospitalar é feita de modo impreciso.

Outro ponto apresentado pela promotora de justiça é o fato de que o ICIPE poderá recusar atendimento, mesmo recebendo dinheiro público.

Renilson Rehem preside o Instituto Brasileiro de Organizações Sociais de Saúde (Ibross), que representa 19 OSs pelo país.

O site #SaúdeDireitosSociais&Inovações não conseguiu contato com Rehem.