Ministério da Saúde libera recursos para melhoria do atendimento odontológico em 673 municípios em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal

Por: Ivan Rodrigues

Serão repassados R$ 48 milhões por ano para estabelecimentos especializados.

Portal Brasil com informações do Ministério da Saúde 

Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (30) a liberação de recursos para que as secretarias de saúde de 673 municípios possam investir na melhoria do atendimento de saúde bucal. Serão repassados R$ 48 milhões por ano para que os estabelecimentos ampliem a qualidade dos serviços oferecidos à população. Os Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) que foram beneficiados com os valores atendem a uma série de requisitos para aprimoramento do cuidado.

O incentivo faz parte das iniciativas de modernização da gestão da saúde que vêm sendo promovidas pelo governo federal, com adoção de novos padrões e indicadores de qualidade. A avaliação é composta por três módulos. No primeiro, é verificado se a infraestrutura, a manutenção e o uso dos equipamentos, instrumentais e insumos, estão sendo feitos de forma adequada. No segundo, são entrevistados o gerente do CEO e um cirurgião-dentista para a obtenção de informações sobre o processo de trabalho, organização do serviço e cuidado aos usuários. No terceiro módulo, é feita uma pesquisa de satisfação com pacientes do Centro, que inclui perguntas quanto ao acesso e qualidade do atendimento.

A lista das cidades que vão receber os recursos adicionais, que se somam ao valor de custeio já pago a esses estabelecimentos, foi publicada na portaria 677/2015, que homologa a certificação dos CEO no Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade dos Centros de Especialidades Odontológicas (PMAQ-CEO). Para o coordenador Nacional de Saúde Bucal, Gilberto Pucca, esse processo de certificação é um grande avanço para um país que só foi ter política pública de saúde bucal após a criação do programa Brasil Sorridente, em 2004.

“Antes, quem precisasse de atendimento especializado tinha que procurar a iniciativa privada. Agora, além de termos saído de zero para 1.037 CEO em onze anos, estamos avaliando a qualidade dos serviços oferecidos à população, premiando com mais recursos os estabelecimentos que se destacam”, afirma Pucca.

Monitoramento

Os 981 Centros de Especialidades Odontológicas que estavam em funcionamento em todo o País entre fevereiro e março de 2013 tiveram oportunidade de aderir ao PMAQ CEO de forma voluntária. Desses, 859 CEO aderiram ao programa, comprometendo-se a cumprir os critérios de qualidade pactuados, e passaram a receber um adicional de 20% no custeio mensal. Após a etapa de avaliação externa, os CEO certificados podem perder os 20% a mais de incentivo do PMAQ-CEO, manter os 20%, ou ampliar para 60% ou 100% adicionais, de acordo com o desempenho e cumprimento dos requisitos pactuados.

Portal Brasil com informações do Ministério da Saúde Fonte:

Comentários