O PL é maior que as bravatas do solitário Fraga – Pede pra sair, 00!

Por: Redação

Derrotado nas eleições de 2018, o ex-deputado federal Alberto Fraga faz oposição hostil e pessoal contra Ibaneis Rocha e entra em choque com Flávia Arruda, presidente do PL-DF e candidata ao Senado na chapa do Ibaneis.

Não é de hoje que o coronel da reserva Alberto Fraga causa discórdia e intriga por onde passa. Desde a época do ex-governador Joaquim Roriz (PMDB hoje MDB) que o ex-parlamentar promove desavenças e declara apoio ou se diz oposição, de acordo com as suas conveniências. É o seu jeito de fazer política sorrateira, que vai da truculência ao jeitinho, passando pela fase “emocionado”.

Ex-deputado e derrotado nas eleições de 2018 ao GDF, Fraga agora parte para cima do governador Ibaneis Rocha (MDB), mostrando que ainda guarda mágoas de sua derrota, agindo como mal perdedor. Para completar, entra em choque com a presidente do seu partido, Flávia Arruda, que agora terá que vir a público enquadrar Fraga, por suas declarações isoladas.

Neste domingo (10), declarações de Alberto Fraga em um programa patrocinado da rádio Metrópoles chamou as ações do governo como “um desastre”. Insinuou ainda que Ibaneis teria que “adular” Flávia Arruda para não ser candidata ao governo, falando sem autorização e legalidade para tal.

Flávia é candidata ao Senado na chapa de Ibaneis Rocha. E Fraga, recém-filiado ao PL, desta vez vai tentar uma vaga na Câmara Federal. Muitos acreditam que não foi uma boa ideia ter aceitado a velha raposa na agremiação.

O descontrole das declarações de Fraga soou como algo pessoal contra o governador Ibaneis devido a derrota em 2018 e criou uma reação em cadeia no Partido Liberal.

Secretário-geral do partido no DF, Bispo Renato, disse que Fraga não fala pelo partido e que as posições dele não refletem o pensamento partidário.

“Reitero que o PL do Distrito Federal irá marchar ao lado de Ibaneis Rocha e que a deputada Flávia Arruda, presidente da legenda, será candidata a senadora na chapa do governador. Esse é o acordo e o partido terá que seguir nessa linha”, disse Bispo Renato.

O comportamento de Fraga, criou um grande embaraço político para Flávia Arruda, que se encontra fazendo uma cirurgia estética em São Paulo.

O Partido Liberal, que faz parte da base aliada é a legenda que detém centenas de cargos no governo Ibaneis Rocha, desde o início da gestão.

Flávia Arruda teria sido cobrada, ontem mesmo, pela maioria dos pré-candidatos, filiados e de membros da direção do PL, para uma posição pública em relação ao fato.

Os pré-candidatos cobram ainda uma posição mais firme de Flávia em apoio à reeleição do emedebista Ibaneis Rocha.

Fraga estaria fazendo o papel de pau-mandado de alguém do próprio partido, o que pode tornar a relação, até agora harmoniosa, em desagregadora entre os integrantes da legenda.

O partido tem a ex-secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, que concorre a uma vaga de deputada federal. Ela também teria reagido contra a postura de Fraga.

Tem ainda o Bispo Renato, secretário-geral do PL e ex-administrador de Taguatinga, que concorre a uma vaga na Câmara Legislativa, além do atual secretário de Obras, José Humberto Pires.

Por meio de Ibaneis, o PL ainda ganhou o reforço de deputados distritais da base como Reginaldo Sardinha, Agaciel Maia e Daniel Donizet, todos com cargos no governo.

Comentários