GDF: novos processos seletivos para 300 vagas e concurso público para profissionais de saúde

Por: Redação

Novos processos seletivos (300 vagas) e concursos estão sendo preparados para reforçar o quadro de pessoal

agência Brasília* | edição: abnor gondim

Ampliação do quadro tem sido feita por meio de contratações temporárias de graduados em medicina e enfermagem, além de técnicos | Foto: Breno Esaki/Agência Saúde/SES

“Esse esforço tem o objetivo de garantir à população do DF um atendimento adequado, com agilidade e eficácia, e principalmente reforçar o trabalho das equipes que estão na linha de frente do combate à covid-19”Osnei Okumoto, secretário de Saúde

O Governo do Distrito (GDF), por intermédio da Secretaria de Saúde, vem ampliando desde o ano passado o número de profissionais para atuar na linha de frente do combate à pandemia. No período de março de 2020 até março de 2021, foram selecionados e convocados 4.327 profissionais entre efetivos e temporários e, desse total, 2.240 tomaram posse e entraram em exercício.

Além disso, houve também a ampliação de carga horária de 1.794 servidores da área assistencial. E outros 2,7 mil servidores retornaram do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF) para as unidades da Secretaria de Saúde e foram redistribuídos para ajudar na luta contra a covid-19.

Segundo o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, tem sido frequente a determinação do governador Ibaneis Rocha para que o quadro de profissionais da saúde seja ampliado. “Esse esforço tem o objetivo de garantir à população do DF um atendimento adequado, com agilidade e eficácia, e principalmente reforçar o trabalho das equipes que estão na linha de frente do combate à covid-19”. afirmou o gestor.

Ampliações de carga horária, contratações temporárias e convocação de concursados têm o objetivo de reforçar as equipes e garantir uma assistência melhor a toda a população e também evitar a sobrecarga nos profissionaisSilene Almeida, subsecretária de Gestão de Pessoas

Stress e sobrecarga

De acordo com a subsecretária de Gestão de Pessoas, Silene Almeida, desde março do ano passado, foram desenvolvidas estratégias para repor e reforçar continuamente as equipes. 

“O absenteísmo (registro de faltas, licenças e atestados), principalmente nos meses de julho e agosto, foi muito alto. Ainda hoje, existe absenteísmo provocado pelo estresse e outras patologias por causa da superlotação nos hospitais e unidades de saúde”, explica.

De acordo com a subsecretária, a pandemia tem caráter continuado e, desde que iniciou, os profissionais da saúde estão atuando diariamente. Então, resumiu, essas ampliações de carga horária, contratações temporárias e convocação de concursados para vagas de vacância têm o objetivo de reforçar as equipes e garantir uma assistência melhor a toda a população e também evitar a sobrecarga nos profissionais.

Concurso público

Silene destaca que a pasta também tem feito convocação de novos concursados em vagas de vacâncias e aguarda a autorização e liberação da Secretaria de Economia para realizar um novo processo seletivo temporário, principalmente para médico, enfermeiros e técnicos, já que o banco de reserva está zerado.

“Também estamos preparando os editais para concurso público para algumas especialidades como médicos, enfermeiros, cirurgiões dentistas e outros para poder repor de forma efetiva o quadro de pessoal de profissionais na Secretaria de Saúde”, informa.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Comentários

  • Luciana disse:

    Que eu saiba quem toma posse é nomeado em concurso público. Deveriam nomear os aprovados de 2018. E ñ fazer mais processo seletivo

  • Neuzilene Ribeiro Rodrigues vogado disse:

    Se o governador ibanés Rocha quisesse realmente rapidez em contratar servidores,ele teria chamado todos os aprovados concurso de 2014 que ele deixou vencer e não chamou o restante do cadastro reserva.

    1. Neuzilene Ribeiro, bom dia.

      O certame expirou conforme norma do edital e não havia pandemia à época. O governo só pode chamar concursados se houver previsão orçamentária para tal, caso contrário, só poderá substituir as vacâncias que ocorram no quadro de servidores, sem a qual estará incorrendo em crime podendo ter suas contas julgadas e rejeitadas pelo TCDF e CLDF. Quem passa fora do número de vagas apenas tem subjetivamente uma expectativa à nomeação.