Réu Confesso: ex-prefeito do Piauí diz que roubou menos do que o seu sucessor

Por: Ivan Rodrigues

REDAÇÃO – S&DS

Brasília – 08 de Setembro de 2020 – 09:15

MDB - Saúde & Direitos Sociais -  Piauí
foto: redes Sociais

Título de Ladrão Honorário

José Maria Monção disse que se apropriou de menos recursos públicos que o atual ocupante do cargo e que agiu de maneira ilegal para “dar aos mais pobres”

Durante a convenção do MDB no Piauí (Cocal), neste fim de semana, o ex-prefeito da cidade afirmou, em discurso, que roubou menos do que o sucessor. A fala foi recebida com risos e aplausos. “Não é que Cocal seja o fim do mundo, mas com essa administração todos padecem”, afirmou José Maria Monção.

“Fui prefeito três vezes, sei do sofrimento, mas também não roubei o tanto que esse aí roubou, não, tá entendendo?

Ele já foi preso em uma operação da Polícia Federal sob acusação de desviar recursos da educação.

Monção falava para pedir votos ao candidato Cristiano Brito, que concorre ao executivo local, quando admitiu que “roubou” e, por isso, foi preso. Mas disse ter subtraído menos que o atual. 

Ainda durante o discurso, José Maria, em tom humorístico, disse que se não tivesse cometido o crime, não teria sido preso. “Eu posso até ter tirado alguma coisa, dados para os pobres. Na verdade, ninguém pode ser tão sincero. Se eu não tivesse tido tanto direito, eu não tinha ido preso né? Se eu fui preso, tem um motivo”.

As declarações foram aplaudidas por correligionários e gerou risadas na plateia.“Tem político que rouba, mas rouba pra dar pro povo. Esse daí (Vieira) não, roubou pra ele”, concluiu.

Moção foi preso em 2009, acusado de desviar R$ 2,6 milhões do Fundo de Educação Básica e, em 2015, fi acusado de falsificar documentos da Câmara de Vereadores para poder concorrer ao cargo de deputado.

Com informação do: em.com.br

Comentários