Desde 2017, Estados Unidos já tinham conhecimento de uma pandemia causada por uma nova cepa de coronavírus, indica relatório interno de 103 páginas

07 de Abril de 2020


Imagem da sede do Departamento de Segurança dos EUA – Fonte: Investing 

O Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, já tinha conhecimento de que uma pandemia poderia ser causada por uma nova cepa de coronavírus. É o que indica um relatório interno datado em 2017 que foi vazado recentemente pelo site The Nation.

Os Estados Unidos já previam a atual crise de saúde internacional e mais: que ela seria acompanhada pela escassez de máscaras faciais, leitos e respiradores hospitalares. Essa escassez, segundo o documento de 103 páginas, causaria um “um impacto significativo na disponibilidade da força de trabalho global”.

Ainda é citado que esta nova doença respiratória seria “a ameaça mais significativa”, ou melhor dizendo, uma forte candidata no desenvolvimento de uma possível pandemia.

“A comunidade de inteligência e os militares norte-americanos estavam bem cientes do que poderia acontecer e, infelizmente, aconteceu”, declarou o repórter do The Nation, Ken Klippenstein, em entrevista ao All Things Considered da NPR.

Ken Klippenstein foi o responsável por conseguir o documento que, segundo ele, teria sido entregue por um funcionário do Departamento de Defesa dos Estados Unidos sob a condição de anonimato.

Durante a entrevista, o repórter afirmou que dentro dos círculos de inteligência norte-americanos, o coronavírus já era considerado uma ameaça provável há pelo menos 5 anos. Ele ainda criticou a fala do presidente Donald Trump que declarou que a atual pandemia surgiu “do nada”. Afinal, para Klippenstein, é improvável que a Casa Branca não tenha recebido as informação contidas no referido relatório.

E enquanto o presidente Trump disse que a atual pandemia da covid-19 “surgiu do nada”, Klippenstein diz que é “inconcebível que a Casa Branca não tenha recebido isso”, referenciando as informações contidas no relatório do Pentágono de 2017.

“Mesmo os países mais industrializados terão leitos hospitalares e equipamentos especializados insuficientes, como respiradores e produtos farmacêuticos, para tratar adequadamente suas populações durante uma pandemia clinicamente grave”, informa o relatório.

Por: Kris Gaiato via nexperts

Leave a Comment