Pai leva filha de 12 anos acorrentada para o pelotão da PM e acaba preso por maus-tratos

05 de Janeiro de 2020


Depac Cepol, em Campo Grande, onde homem suspeito de maus-tratos contra a filha está preso — Foto: Mariana Cintra/TV Morena

Um homem de 32 anos foi preso na noite deste sábado (4) pela Polícia Militar no bairro Coophavila II, em Campo Grande, por maus-tratos contra a filha de 12 anos. Foi o próprio suspeito que procurou a polícia, levando a criança acorrentada pelo pulso direito. Ele queria que os policiais impedissem a garota de se encontrar com namorado, mas acabou sendo preso em flagrante pelo crime contra a menina.

Conforme a polícia, o suspeito disse que mantinha a filha acorrentada para que ela não fugisse de casa para se encontrar com o namorado, que também seria menor de idade. Ele comentou ainda que a última fuga tinha ocorrido na manhã do próprio sábado, quando a garota lhe disse que estaria grávida. Comentou que após encontrá-la resolveu procurar o pelotão da polícia para que os militares, de alguma forma, impedissem o encontro do casal.

Entretanto, assim que chegou a unidade policial, trazendo a menina acorrentada o pai foi preso pelos maus-tratos. O Conselho Tutelar foi acionado para acompanhar o caso. Além de presa pela corrente, a garota apresentava uma série de hematomas por várias partes do corpo, como braços e pernas. Ela disse aos policiais que eram agressões que sofria do pai.

O pai, de acordo com a PM, tem um histórico de várias passagens policiais por crimes como violência doméstica, ameaça e lesão corporal. Um dos registros é relativo a uma outra fuga da jovem, no ano passado.

Outro caso, conforme os policiais, seria de maus-tratos contra outro filho do suspeito, um garoto de 13 anos. O pai teria ameaçado o menino de que ele teria de comer um vidro de pimenta inteiro, se não obedecesse suas ordens.

Após o flagrante no pelotão da PM no bairro Coophavila II, os policiais encaminharam o suspeito para Delegacia de Pronto Atendimento Cepol (Depac Cepol), onde ele está preso.

Por Mariana Cintra e Anderson Viegas, TV Morena e G1 MS

Leave a Comment