Concursos do TST terão 20% das vagas reservadas a negros

Por: Ivan Rodrigues

África do Sul: favelas exclusivamente brancas. Fotógrafo canadense premiado Finbarr O'Reilly.

África do Sul: favelas exclusivamente brancas. Fotógrafo canadense premiado Finbarr O’Reilly.

Um ato conjunto do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) foi assinado ontem (22) pelo ministro Barros Levenhagen, presidente dos dois órgãos. O documento institui a reserva de 20% das vagas nos concursos públicos das duas casas para negros.

O ato regulamenta a aplicação da Lei 12.990, de 9 de junho de 2014, que institui a reserva de vagas para negros na administração pública federal, das autarquias, das fundações públicas, das empresas públicas e das sociedades de economia mista controladas pela União. O documento leva em consideração também o Estatuto da Igualdade Racial – Lei 12.288/2010 –além de decisões proferidas pelo Supremo Tribunal Federal a respeito do tema.

A decisão prevê que a reserva será aplicada sempre que o número de vagas oferecidas for igual ou maior que três e constará expressamente nos editais. De acordo com o texto do ato, poderão concorrer às vagas reservadas “aqueles que se autodeclararem pretos ou pardos no ato de inscrição no concurso público, conforme o quesito cor ou raça utilizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]”.

A norma está em vigor e será aplicada nos próximos concursos do TST e do CSJT.

Editor Fábio Massalli

Por Michèlle Canes Edição:Fábio Massalli Fonte: Agência Brasil

“Não somos mais vítimas da cor da pele negra, somos réus de nossa atual história”.

Temos o direito de estudar, votar e ser votado, de ir e vir, proteção, direitos previdenciários entre tantos outros consagrados na CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Barack Obama

Voluntária pró-Barack Obama. Foto facebook oficial.

Mas a anencefalia do poder fazer e mudar a própria história, foi negligenciada por nossas mentes individualistas vitimando-nos ao discurso superprotetor dos partidos políticos que se apoderaram do discurso paternalista na defesa dos direitos dos afro-brasileiros.

“Não me façam de vítima, façam comigo e não por mim”!

 

Resposta da Presidência: ……@planalto.gov.br

Ivan Rodrigues Rocha,

Consta em nosso banco de dados uma mensagem enviada à Presidenta da República deste endereço eletrônico. Precisamos de sua confirmação ou cancelamento.

Para confirmar ou cancelar o envio da mensagem favor seguir as instruções logo a seguir.Dados da mensagem:
Nome: Ivan Rodrigues Rocha
Cargo: Enfermeiro
Instituição: xxxxxxxxxxxxxxx
Endereço: Qs xx conjunto xx casa xx
Bairro: Riacho Fundo I
Cidade: BRASÍLIA
UF: DF
CEP: 71825411
País: BRASIL
E-mail: xxxxxxxxx@gmail.com
Telefones: 6195340000
Sexo: MASCULINO
Faixa etária: ADULTO (de 21 a 60 anos)
Mensagem:
Boa tarde prezada presidenta. Gostaria de saber qual é o mecanismo/metodologia utilizado, após implantação das cotas raciais no concurso público federal, para avaliar quem realmente é negro ou negra?
Para confirmar ou cancelar o envio de sua mensagem à Presidenta da República, favor seguir as instruções abaixo.Para confirmar o envio de sua mensagem à Presidenta da República, clique aqui.

Para cancelar o envio de sua mensagem à Presidenta da República, clique aqui.

Caso não seja possível você também poderá confirmar copiando e colando o seguinte endereço no seu navegador:

https://sistema.planalto.gov.br/falepr2/confirma_email.php?mensagem=318932

Caso não seja possível você também poderá cancelar copiando e colando o seguinte endereço no seu navegador:

https://sistema.planalto.gov.br/falepr2/cancela_email.php?mensagem=31893x

Prezado Senhor,

Resposta da Presidência

A Presidenta Dilma Rousseff encarregou-nos de registrar o recebimento de sua mensagem.

Cordialmente,

Claudio Soares Rocha

Diretoria de Documentação Histórica

Gabinete Pessoal da Presidenta da República

Comentários