Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania causa interesse político em razão de seu orçamento e estrutura

O deputado distrital Alírio (PEN), foto à direita, está secretário de Justiça e Cidadania desde 2009, no então governo de José Roberto Arruda. Novamente à frente da pasta de Justiça e Cidadania, no governo de Agnelo Queiroz, assume em janeiro de 2011.

Os repasses do governo federal à Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania Distrito Federal (SEJUS/DF), têm aumentado substancialmente a ponto de promover interesses de outros partidos pela pasta outrora desconsiderada na berganha politica.
A estrutura de cargos comissionados da secretaria, com a incorporação da Defesa Civil aos seus quadros é de dar inveja a outros secretários menos abastados de nomeações de livre provimento.

Como secretário de Justiça e Cidadania, o distrital criou vários projetos voltados para jovens e idosos e, especialmente, o Pró-Vítima, um programa da Secretaria de Justiça que tem o objetivo de dar visibilidade aos direitos das pessoas vítimas de crimes violentos, assegurando-lhes atendimento multidisciplinar. Outro projeto, também de sua autoria e de grande importância para a população, é o da campanha de conscientização sobre o uso indevido de drogas voltado para os jovens de Brasília e região.

Os dados do convênio aqui relacionado [abaixo] foram extraídos do SIAFI, no dia 21/10/2013.

Número Convênio: 670604 
Objeto: Objeto: Convênio firmado com a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania Distrito Federal, visando a execução do projeto: “Manutenção do Programa de Proteção às Vitimas e Testemunhas Ameaçadas”, conforme Plano de Trabalho aprovado.
Órgão Superior: PRESIDENCIA DA REPUBLICA
Convenente: SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTICA, DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA
Valor Total: R$ 1.709.166,00
Data da Última Liberação: 17/10/2013
Valor da Última Liberação: R$ 392.706,00

Leave a Comment