SES-DF: Lucilene Florêncio assina acordos de gestão para doze Centros de Especialidades Odontológicas

Por: Redação

Doze Centros de Especialidades Odontológicas do Distrito Federal trabalham agora conforme Acordos de Gestão Local (AGL). Os documentos foram assinados, nesta segunda-feira (20), na Secretaria de Saúde, e trazem metas a serem alcançadas no atendimento à população, como números de procedimentos básicos, de periodontia, endodontia e cirurgia oral.  

Assinatura dos Acordos de Gestão Local para unidades da área de odontologia. Foto: Tony Winston – Agência Saúde DF

“Não se trata só de um ato burocrático, mas sim de um reflexo do compromisso que nós estamos fazendo com a qualidade da assistência na odontologia do Distrito Federal”, afirmou a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio. Os acordos envolvem duas unidades da Região Central de Saúde, duas da Oeste, uma da Centro-Sul, duas a Sudoeste, uma da Sul, duas da Norte e a do Hospital Materno-Infantil de Brasília (HMIB). 

Para a superintendente da Região de Saúde Norte, Sabrina Gadelha, os Acordos de Gestão Local ajudam a traçar objetivos claros. “Esse acordo vai trazer um incentivo a mais para o profissional. Ele tem agora metas para cumprir e com isso vai melhorar a assistência para a população”, disse. 

O Programa de Gestão Regional da Saúde começou a ser implantado no DF em 2017 e a meta é atingir todas as unidades de saúde até 2023. As ações incluem capacitação de gestores e servidores, levantamento de metas e levantamento sociodemográfico de todas as regiões de saúde. 

Hoje, já têm acordos de gestão as superintendências regionais de Saúde, as 176 unidades básicas de saúde, as policlínicas, o Hospital de Apoio de Brasília, Hospital Materno Infantil de Brasília, Hospital São Vicente de Paulo e o Complexo Regulador do DF.

Comentários

  • Leda disse:

    Eu nunca vi as odontologias d postos e hospitais funcionarem e prol da populacao. Meu filho e nora colocaram o nome na lista d espera p dentista há 4 anos no csv 14 da ceiland do setor o e nunca foi chamado. Trab no hmib há 38 anos no dia q consegui um tratamento p meu filho e nora a médica pegou tanto atestado q até hoje não conseguiram fazer o tratamento. O projeto e bom mais nao funciona