Conheça os deputados distritais e federais da base de apoio do governador Rollemberg

“Sou louco pelo poder, seduzido pelo poder e para isso que eu vivo” Ulysses Guimarães.

Em toda a história da Câmara Legislativa do Distrito Federal, apenas o ex-deputado distrital Reguffe, atual senador sem partido, não se enquadrou em Ulysses Guimarães. Abdicou-se de todas as investidas da sedução do poder, não exercendo cargo no executivo ou indicando quaisquer nomes, embora muito assediado. Há quem diga que o senador Reguffe não ajudou ninguém os indicando para cargos na máquina pública. Reguffe estaria errado?

Câmara Legislativa do Distrito FederalAlguns deputados distritais são como ou tanto mais a Ulysses Guimarães pelo poder.

Os descritos como base de apoio ao governo de Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), em suas totalidades possuem cargos, indicações políticas nas várias pastas, empresas públicas, autarquias do Governo do Distrito Federal (GDF).

Os distritais, são eles, a saber:

  • Agaciel Maia (PR)
  • Celina Leão (PPS)
  • Cristiano Araújo (PSD)
  • Juarezão (PSB)
  • Julio César (PRB)
  • Liliane Roriz (PTB)
  • Lira (PHS)
  • Luzia de Paula (PSB)
  • Professor Israel (PV)
  • Professor Reginaldo Veras (PDT)
  • Raimundo Ribeiro (PPS)
  • Rodrigo Delmasso (PTN)
  • Roosevelt Vilela (PSB)
  • Sandra Faraj (SD)
  • Telma Rufino (sem partido)
  • Joe Valle (PDT) atual Secretário do Trabalho, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos – licenciado do mandato.

Os deputados federais, a saber:

  • Augusto Carvalho (SD)
  • Rogério Rosso (PSD)
  • Erika Kokay (PT)
  • Rôney Nemer (PP)Deputados_Federais_do_DF

Sabem os citados, que os infiéis terão tratamentos diferenciados do Executivo e o DODF será a porta de serventia do poder. 

Reguffe propõe que parlamentares renunciem ao mandato para assumir cargo no Executivo

O senador Reguffe (DF) tem defendido a proposta de emenda à Constituição que exige de parlamentares a renúncia ao mandato caso queiram assumir algum cargo no poder Executivo.

– Não pode estar um dia no Poder Legislativo, dia no Executivo, depois voltar para o Legislativo. Isso está errado. Se a pessoa pedir a procuração da população para representá-la em um cargo, ela tem que ocupar esse cargo – afirmou o senador.

4 Comentários

Leave a Comment