Zika vírus protocolo epidemiológico

zika-virus

Foto: webcatalago

Os Serviços de Vigilância Epidemiológica do Distrito Federal (SVS), reuniram-se nesta manhã (11/12), no prédio do Laboratório Central de Saúde Pública -Lacen, para apresentar o protocolo de investigação dos casos suspeitos de microcefalia associado ao zika vírus e das gestantes com doenças exantemáticas. Definição dos casos suspeitos. Fluxos das notificações, investigação, monitoramento dos casos de microcefalia, apresentação das coletas de espécimes e fluxo das amostras coletadas.    

O que é o Zika vírus?

Descoberto em 1947 por cientistas em uma pesquisa com macacos rhesus das florestas da Uganda, na África, o primeiro contágio em humanos ocorreu em 1968 na Nigéria. É uma espécie de vírus pertencente à família Flaviviridae e ao gêneroFlavivirus. O Zika vírus é da família dos vírus que provocam a dengue e a febre amarela, identificado pela primeira vez no Brasil no estado da Bahia, possivelmente trazido por turistas da Copa do Mundo no país em 2014. Não se sabe o verdadeiro potencial de virulência do vírus.

Sintomas da febre Zika

Entre a picada e o surgimento dos sintomas demoram (10) dias, os sinais são bastante parecidos com os da dengue, no entanto, mais brandos. Os sintomas da febre duram, em média, de 4 a 7 dias com dores de cabeça, pintinhas vermelhas na face e no tronco, conjuntivite e artralgia que é dores nas articulações.

Depois de 2 ou 3 dias, a febre desaparece, assim como as erupções cutâneas. Não existe vacina ou droga que previna à febre Zika.

Tratamento

É baseado somente na amenização dos sintomas, os incômodos deixam de acontecer espontaneamente na grande maioria das vezes em até uma semana do contato com o vírus.

Prevenção

Evitar deixar água parada em locais que possam ser propícios a multiplicação dos mosquitos como latas, copos plásticos, pneus, vasos de plantas, garrafas ou caixa d’água, por exemplo.

Leave a Comment