Dificuldades de gestão na saúde pública do DF repercutem em plenário

Um dos assuntos mais abordados pelos deputados distritais na sessão ordinária da Câmara Legislativa do Distrito Federal desta terça-feira (25) foi a situação da saúde pública. Vários deputados ocuparam a tribuna para abordar temas ligados à saúde do DF.

O deputado Chico Vigilante, líder do PT, criticou o não pagamento das horas extras de servidores da saúde, que segundo ele, estão cruzando os braços em protesto contra o GDF. O deputado reclamou que as horas extras não estão sendo pagas há meses e disse que não é por falta de dinheiro.

Segundo Vigilante, o Fundo de Saúde apresenta um saldo de R$ 400 milhões para o pagamento de despesas desta natureza, mas o governo não vem honrando seus compromissos com os trabalhadores da saúde. “Dinheiro tem. E o que está sobrando é incompetência do GDF”, alfinetou.

Já o deputado Rodrigo Delmasso (PTN) destacou a realização de audiência pública da Comissão de Fiscalização, Governança e Controle Social para avaliar o relatório de gestão da secretaria de Saúde do primeiro quadrimestre do ano. Ao analisar os dados apresentados, Delmasso disse que ficou assustado ao constatar que de um orçamento geral de R$ 4,5 bilhões, somente dois por cento deste montante é destinado a investimentos.

Na avaliação do distrital, para mudar o quadro atual da saúde pública, é necessário aumentar os recursos para investimento, possibilitando o aumento de leitos e a compra de medicamentos e material de insumo. Delmasso elogiou as primeiras medidas adotadas pelo novo secretário de Saúde, Fábio Gondim, que visam modernizar a gestão da área.

Luís Cláudio Alves – Coordenadoria de Comunicação Social

1 Comentário

  • Marcio disse:

    Alguém tem alguma previsão de quando saem as extras de maio?
    Por que até agora eu só ouvi ameaças que vão cortar as extras, pra mim pode até cortar desde que me paguem o que já me devem.

Leave a Comment