A saúde do DF, provavelmente, não será resolvida em quatro anos de governo

Secretário de Saúde João Batista (centro), e comitiva em visita ao hospital HUGO em GO, gestão por OS. Foto: Brasil 247.

O decreto nº 36.279, de 19 janeiro de 2015. Que declara a situação de emergência no âmbito da Saúde Pública do Distrito Federal, por 180 dias, dificilmente trará a normalidade para a assistência do SUS-DF.

Saúde pública se faz com orçamento, gestão e controle. São mais de vinte anos, de sucateamento da saúde pública para um supersecretário resolvê-la em (180) dias ou (04) anos.

Mesmo fazendo uso do decreto de estado de emergência que lhe é devido, o secretário de Saúde continuará com um enorme passivo na assistência.

A gestão por Organizações Sociais na Saúde (OSS) seria a solução? Não sei!

O que é e o que fazem as OSs? São instituições do setor privado, sem fins lucrativos, que atuam em parceria formal com o Estado e colaboram de forma complementar, para a consolidação do Sistema Único de Saúde, conforme previsto em sua lei orgânica – Lei nº 8080/90.

Exemplo de gestão por OSS na saúde. Em São Paulo, por contrato de gestão, incluem os Hospitais, Ambulatórios Médicos de Especialidade (AME), Centro de Referência do Idoso (CRI), Centros de Reabilitação da Rede Lucy Montoro, Centros Estaduais de Análises Clínicas (CEAC), Serviços de Diagnóstico por Imagem (SEDI), Centro de Armazenamento e Distribuição de Insumos de Saúde (CEADIS) e Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (CROSS).

O Distrito Federal, em face de situação calamitosa da saúde deveria tentar esse modelo em algumas unidades?

Talvez! Lembro-me, que como diretor administrativo do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), ter ouvido dezenas de vezes, de usuários, que sentiam falta da gestão do Hospital pela Real Sociedade Espanhola, segundo eles, assistência de excelência.

Assim que tomei posse como diretor administrativo do HRSM, tomei conhecimento que a Real Sociedade Espanhola, fazia a gestão do HRSM com R$ 11 milhões mês. Após retomada do Hospital pelo Governo do Distrito Federal (GDF), por suspeita de superfaturamento no contrato, com R$ 20 milhões mês, já no período da intervenção, a Secretaria de Saúde não conseguia fazer gestão, nem ofertar o mesmo nível de assistência aos usuários, nos moldes mínimos de satisfação como o da Sociedade Espanhola com R$ 11 milhões mês.

O usuário quer e merece ser atendido com condições dignas de um cidadão brasiliense que paga seus tributos e contribui para o país.

A doença não escolhe o modelo de assistência, é preciso resolvê-la. O quanto antes!

O estado, sozinho, tem se mostrado incompetente com a gestão do SUS, não vamos discutir as razões!  Até porque, quem precisa da saúde tem pressa.

18 Comentários

  • Danielle simas disse:

    O engraçado,é que nas eleições onde vcs pediam voto, nunca foi mencionado sobre essa tercerizaçao e colocar a saúde pública do DF nas mas de OS.
    Inclusive prometeram chamar sim todos os aprovados no concurso.
    E agora como fica essas pessoas que lutaram, estudaram fizeram cursinho sem poder, em busca de um sonho em ser servidor público???
    Por favor nos responda…..
    Penso que não é justo vocês destruírem a vida de todos esses profissionais aprovados nesse concurso.
    Honrrem com o que nos prometeram nas eleições.

  • Leandro disse:

    Poxa Ivan, defendi seu nome, inclusive em grupos que colocaram sob suspeita suas intenções. Mas confesso que depois desta publicação terei que rever meus conceitos. Desculpe, mas defender este modelo de gestão escravizador e humilhante é simplesmente absurdo para quem se diz na luta em defesa da saúde. Saúde de quem? Do bolso Dos empresários? Se fosse um modelo tão eficiente assim estaria até hoje em Santa Maria. A culpa deste caos não é do servidor. Temos profissionais bons e ruins tanto no serviço público quanto privado. Massacrar o trabalhador sob o pretexto de melhorias não cola. você diz que estamos olhando apenas para nosso próprio umbigo. E vc, para onde está olhando? Se a resposta é: para o usuário, te digo que trabalho duro para oferecer o melhor pelo usuário e muitos colegas meus tb, muitas vezes sob condições de trabalho desumanas. Se a questão é dinheiro, faço mais uma pergunta: pq tem dinheiro para os empresários e não tem para o servidor?

    • Meu amigo Leandro, sairemos juntos em defesa dos concursados, não retrocederei e vocês sabem que podem contar comigo! Vou conversar pessoalmente com o governador Rodrigo Rollemberg, para que nos esclareça melhor toda essa movimentação do secretário de Saúde João Batista. É preciso mais esclarecimentos quanto a isso!

  • Bruno Leonardo disse:

    No passado você ganhou meu voto e de meus familiares, e sempre afirmei aos meus colegas de profissão a necessidade de se votar em alguém do nosso meio. Enfim fui iludido, se depender de mim não ganhará jamais os meu voto, alias so me restá agora me desculpar aos amigos que pedi voto em seu favor e esclarecerem a verdade aos mesmos quem realmente é a pessoa pelo qual pedir voto.

    • Prezado Bruno Leonardo;
      Ninguém aqui, esta pensando no usuário mas em si mesmo! É triste saber desse individualismo. Estou simplesmente fazendo menção pensativa sobre àqueles que nesse momento, aguardam por uma UTI para uma filha ou filho, uma cirurgia, uma consulta com um especialista e sua vida esta em perigo! Infere-se do post que, só existe os serviços de saúde porque existe que o banque, o usuário. E, até agora, não se fala a respeito! Consciência do próximo vai além das fronteiras do meu, do seu, do nosso umbigo. Obrigado enormemente pelos votos, se eleito tivesse sido, chamaria toda a saúde para discutirmos a Gestão Compartilhada na Saúde, uma projeto que ainda penso em continuar, mesmo não concorrendo mais, a nenhum cargo eletivo. Continue votando em colegas da categoria! Não é porque eu tenha lhe decepcionado, que outros não farão melhor que eu, SER ERRANTE! Continuo com vocês na luta!

  • Marcella disse:

    Concordo em parte Ivan, o problema de Brasília é má gestão, mas tbm apadrinhamento de três outros estados, e outros tantos…. Mas como vc deve saber pois é da área de saúde o MS esta fortalecendo a Atenção Básica, em Brasilia não existe atenção básica contexto de rede regionalização, gestão participativa, eu acho que antes de se mostrar a favor ou contra este assunto o senhor deve levar em conta as causas reais do problema de saúde de Brasília, o morador daki esta ficando idoso, o de Sobradinho principalmente e vc acha que 2 centros de saúde resolvem? nunca, uma equipe de ESF tem no território cerca de 4 mil moradores e vc sabe quem dá o dinheiro mensalmente para equipes funcionarem? o MS , eu acho melhor o senhor revisar seus conceitos, nossos hospitais estão lotados devido a demanda de estados diversos, temos que aliviar os Hospitais e não só resolver o problema dos mesmos.o caminho é Atenção Básica. Não opine sobre coisas que desconhece.

    • Prezada, Marcella. Conheço profundamente as forças que mandam na saúde. Por que será que não querem terceirizar a Atenção Básica? Só a média e alta complexidade? Assista o circo dos horrores do porvir para a saúde nos próximos dias, meses e ano!

  • Maria disse:

    Gestão por apadrinhamento. E outra Ivan, cargos de direção de hospital é algo q só se consegue na politicagem obscura. Ninguém chega a um cargo desse sem interesses políticos, sem dar algo em troca, sem ser apadrinhado, sem ser cabo ou cabide eleitoral.Fico triste por você e por nós por pensarmos assim. Até a credibilidade do seu blog agora foi por água abaixo pq querendo ou não você é um deles também.

    • Maria disse:

      Gestão por apadrinhamento. E outra Ivan, cargos de direção de hospital é algo q só se consegue na politicagem obscura. Ninguém chega a um cargo desses sem interesses políticos, sem dar algo em troca, sem ser apadrinhado, sem ser cabo ou cabide eleitoral.Fico triste por você e por nós por pensar assim. Até a credibilidade do seu blog agora foi por água abaixo pq querendo ou não você é um deles também.

    • Prezada Maria,
      Como você mesmo diz, os cargos são políticos, os cargos dos ministros do STF também o são. Há que ter uma indicação para tal! Não se trabalha no contesto de formação de um governo politico, dando cargos para a oposição. A presidenta Dilma jamais chamaria Aécio para um composição em seu governo. Não sou, e nem serei iguais a eles! Sou igual a todos os brasileiros humildes, usuário do SUS, moro em cidade “Satélite”, termo em desuso; também busco no serviço público melhores condições de vida e o fim da ESCRAVIDÃO DO SERVIÇO PRIVADO…Vamos lutar juntos!

    • Prezada Maria,
      Como você mesmo diz, os cargos são políticos, os cargos dos ministros do STF também o são. Há que ter uma indicação para tal! Não se trabalha no contexto de formação de um governo politico, dando cargos para a oposição. A presidenta Dilma jamais chamaria Aécio para um composição em seu governo. Não sou, e nem serei iguais a eles! Sou igual a todos os brasileiros humildes, usuário do SUS, moro em cidade “Satélite”, termo em desuso; também busco no serviço público melhores condições de vida e o fim da ESCRAVIDÃO DO SERVIÇO PRIVADO…Vamos lutar juntos!

  • Jefferson Júnior disse:

    Essa conversa é por demais fiada. Esses métodos subliminares de contratar de forma terceirizada sempre dão enfase a práticas discriminatórias, apadrinhamentos, desigualdade de condições, favorecem interesses pessoais de gestores… Toda esse papo de OS é o maior caô. O correto é o concurso público, que não tem apadrinhamento, não tem favorecimento indevido, nem curralzinho eleitoral.
    O problema não são os salários dos servidores, e sim a ineficiência dos gestores e as corrupções!!!!!
    Fala sério!!!

  • Heber Filipe Rodrigues Malta disse:

    É uma pena ver que você se vendeu pra essa corja Ivan. Sinto um grande desconforto em pensar que dei meu voto para você e também pra quem te comprou, me sinto muito muito mal mesmo. Você como enfermeiro, colega de profissão, e acima de tudo, como um defensor da saúde que diz ser devia ter vergonha de apoiar ou menos dar crédito para uma ideia tão absurda como essa de privatizar a saúde. De que adianta você sair em manifestações nas ruas exigindo que o governo federal mude se aqui vocês fazem igual ou pior. Me lembro bem de você me abordando em frente ao coren, me pedindo voto. E eu como inocente que sou, achei que você fosse didiferente dos outros, achei que realmente ligava para a saúde, e também para os profissionais que lhe concederam voto de confiança. Sugiro a você que reflita Ivan, e veja a besteira que está cometendo ao apoiar essas ideias absurdas. Você sempre condenou a corrupção, não seja conivente com tal.

    • Heber Filipe, entendo e não faço julgamento de juízo de suas palavras. Meu amigo, não estou defendendo e quero registrar publicamente que foi apenas uma colocação, talvez em frases mau entendidas – que não me fiz de entendido -, de minha experiência como diretor do HRSM. Continuo na luta com vocês!

  • Talita Alves disse:

    É mesmo Ivan? E quanto aos seus colegas de profissão, que aguardam e sonham com nomeação para o concurso da SES? Nós do CR, sabemos que há vaga p muitos que almejam a tão sonhada estabilidade! Se isso for de fato implantado, já eram as nomeações do CR! E será que é tão bom assim? A saúde do estado de Góias é uma maravilha, funciona tão bem que os seus deslocam-se p tratamento no DF!

    Que decepção!

    • Prezada colega Talita,
      Não estou defendendo esse modelo de gestão, estou trazendo à discussão a necessidade de avaliarmos os modelos e construirmos o novo SUS que queremos para o DF. Fico estarrecido, como entram governos e saem governos, e, todos erram na mesma medida: VISÃO MÉDICO CENTRADA NA GESTÃO E MAU UTILIZAÇÃO DO RH DISPONÍVEL.

Leave a Comment