Por que Reguffe não saiu candidato a governador e apoiou Rodrigo Rollemberg?

Não é de hoje, que ouço o atual senador, José Antônio Machado Reguffe, declarar seu desejo em governar o Distrito Federal.

Lembro-me, em 2002, quando integrávamos, o Partido Popular Socialista (PPS), mesmo sem nunca ter ocupado um mandato eletivo, Reguffe teve a coragem, de se lançar candidato a governador à época. O diretório partidário optou por não lançá-lo, óbvio!

Foi eleito em 2006, deputado distrital pelo (PDT); sendo eleito deputado federal com a maior votação proporcional do País em 2010, pelo mesmo partido, ele matinha aceso o sonho de 2002 ainda em sua mente.

Em razão às posturas éticas adotadas como deputado distrital, Reguffe caiu no gosto do eleitorado brasiliense, principalmente dos jovens universitários.

É chegado 2014, e com ele, a oportunidade de realizar o sonho de 2002, ainda fresco na cabeça, foco no sonho de governar Brasília.

Dificuldades: enfrentar um governador – Agnelo Queiroz PT-DF – com a máquina e o governo federal a seu favor; do outro lado, o ex-governador José Roberto Arruda, líder nas pesquisas, embora tenha sido afastado e preso, em 11 de fevereiro de 2010, por decisão do STJ.

Outro entrave, ao sonho de 2002, era a relação do PDT nacional com a PT da presidenta Dilma. O presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, o queria na chapa petista de Agnelo Queiroz como candidato ao senado.

Do outro lado, como alternativa à polarização de forças tradicionais na politica do DF, uma terceira via surgia com Rodrigo Rollemberg (PSB-DF).

Reguffe esperava uma luz no fim do túnel politico, com a criação da Rede de Sustentabilidade de Marina Silva, partido em que poderia concorrer ao GDF. Planos frustrados pela falta de assinaturas necessárias para a criação da Rede de Sustentabilidade.

Reguffe tornou se o fiel da balança do xadrez político do DF, sendo cortejado por todos os jogadores.

Por razões programáticas, Reguffe firma parceira com Rodrigo Rollemberg, desistindo assim, de ser cabeça de chapa e concorrer ao governo do Distrito Federal.

“Não serei candidato a qualquer preço, e não vou transigir em meus princípios fundamentados na ética e na moral”.

Reguffe opta em ser candidato a senador na chapa em cabeçada por Rodrigo Rollemberg ao governo do DF.

Parceira de sucesso, os dois são eleitos. O governador Rollemberg (PSB), está conduzindo atualmente o Governo do Distrito Federal (GDF), e o senador Reguffe cumprirá seu mandato como senador da republica até 2022 como tem falado.

1 Comentário

  • Moacir Guimarães disse:

    Porquê Reguffe não é lançado como candidato a governandor?
    Resp.: Elementar meu caro Watson! Reguffe já provou que é um cara ético e faz política honestamente. Se eleito governador, não topará os esquemas de colocar os “amigos” nos cargos, nos esquemas de distribuir obras às empreiteiras amigas, etc. Sendo assim, que partido vai querer eleger um governador desses que não serve aos seus intereses?

Leave a Comment