Sem concurso há 17 anos, a Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS), permanece na ilegalidade

Por: Ivan Rodrigues

Ao longo dos seus 17 anos de existência que Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)  não elaborou nenhum projeto de Lei que legaliza-se o instituto do concurso público próprio aberto a participação de todos.

 

Governador Rodrigo Rollemberg não soube explicar sobre a ESCS. 

 

Publicado por Ivan Rodrigues Núbios em Sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

 

 

De acordo com auditoria do MPDFT de 2015, haviam 234 docentes na Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS), mantida pela Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (FEPECS) – 138 em medicina e 95 em enfermagem –  35 desempenham integralmente a carga horária de 40 horas em atividades na fundação, ou seja, estão afastados e desviados da assistência hospitalar da rede pública para qual fizeram concurso público. O restante divide o trabalho de 20 horas na docência – também sem concurso público – e, 20 horas na assistência médica na Secretaria de Saúde.

 

Procurada, a assessoria de imprensa da Secretaria da Saúde disse que não vai se manifestar. 

 

Leia também: Distritais aprovam projeto que garante o funcionamento da ESCS. E o concurso público fica para quando?

Comentários