Sem concurso há 17 anos, a Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS), permanece na ilegalidade

Ao longo dos seus 17 anos de existência que Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)  não elaborou nenhum projeto de Lei que legaliza-se o instituto do concurso público próprio aberto a participação de todos.

 

Governador Rodrigo Rollemberg não soube explicar sobre a ESCS. 

 

Publicado por Ivan Rodrigues Núbios em Sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

 

 

De acordo com auditoria do MPDFT de 2015, haviam 234 docentes na Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS), mantida pela Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (FEPECS) – 138 em medicina e 95 em enfermagem –  35 desempenham integralmente a carga horária de 40 horas em atividades na fundação, ou seja, estão afastados e desviados da assistência hospitalar da rede pública para qual fizeram concurso público. O restante divide o trabalho de 20 horas na docência – também sem concurso público – e, 20 horas na assistência médica na Secretaria de Saúde.

 

Procurada, a assessoria de imprensa da Secretaria da Saúde disse que não vai se manifestar. 

 

Leia também: Distritais aprovam projeto que garante o funcionamento da ESCS. E o concurso público fica para quando?

1 Comentário

Leave a Comment