Garoto ainda estaria vivo no momento da retirada dos órgãos – médicos: José Luiz Gomes da Silva, José Luiz Bonfitto, Sérgio Poli Gaspar, Celso Roberto Frasson Scafi, Cláudio Rogério Carneiro Fernandes e Álvaro Ianhez

Por: Redação

O julgamento de um dos médicos acusados pela morte e retirada ilegal de órgãos do menino Paulo Veronesi Pavesi, em abril de 2000, em Poços de Caldas (MG), está marcado para esta segunda-feira (18). A sessão acontecerá no Tribunal do Júri, de Belo Horizonte.

O julgamento deveria ter ocorrido em outubro do ano passado, mas foi adiado após o médico dispensar os oito advogados que trabalhavam em sua defesa. Agora, participam da defesa um defensor público e o advogado Luiz Chimicatti, que pediu um habeas corpus preventivo no dia 1º de abril, que foi negado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

O processo de Álvaro, denunciado pelo Ministério Público como chefe de um esquema de tráfico de órgãos, foi desmembrado dos outros médicos acusados devido a um agravo que deveria ser julgado.

Em janeiro de 2021, outros dois médicos, José Luiz Gomes da Silva e José Luiz Bonfitto, foram condenados a 25 anos de prisão. Já Marcos Alexandre Pacheco da Fonseca foi absolvido pelo júri.

Paulinho Pavesi morreu aos 10 anos após cair, passar por cirurgia e ter os órgãos removidos — Foto: Paulo Pavesi/ Arquivo Pessoal

Paulinho Pavesi morreu aos 10 anos após cair, passar por cirurgia e ter os órgãos removidos — Foto: Paulo Pavesi/ Arquivo Pessoal

Leia a matéria completa em g1 Sul de Minas clicando aqui

Comentários