Médica condenada por mandar cortar o pênis do ex-noivo, também é investigada por agredir e torturar o marido

Por: Redação

Médica publicava vídeos em que o marido aparecia dopado e sendo agredido. Dois filhos também tinham sinais de agressão e foram recolhidos pelo conselho tutelar.

Myriam Priscila de 41 anos é investigada por agredir e torturar o marido em Tremembé (SP). A suspeita é de Minas Gerais, onde chegou a ser presa e condenada por mandar cortar o pênis do ex-noivo em 2002.

A Polícia Civil abriu investigação após receber uma denúncia de que um homem vinha sendo vítima de agressão. Nas redes sociais, a médica Myriam Priscila de Rezende Castro compartilhava uma rotina de humilhações e agressões ao homem, que geralmente parecia estar sob efeito de remédios.

Nesta quarta-feira (2), a Polícia Civil cumpriu mandado de busca e apreensão no imóvel, que fica no bairro Flor do Vale. No local, o homem foi encontrado ferido, assim como as duas crianças, filhas da médica. A polícia não detalhou os ferimentos nelas. A médica não estava no imóvel.

Na casa, os policiais encontraram marcas de sangue no chão, que a vítima, que é estudante de veterinária, disse ser dele, de agressão sofrida no dia anterior.

À polícia, o homem confirmou que ele e as crianças eram vítimas de agressão e que se mantinha na relação por dependência financeira. Ele ainda confirmou ser ele a pessoa exposta nas imagens pela médica.

Homem era agredido por médica em Taubaté — Foto: Reprodução

Homem era agredido por médica em Taubaté — Foto: Reprodução

Animais congelados

A Polícia Civil informou ainda que a casa tinha péssimas condições de higiene, com fezes de animais pelo chão. No local eram mantidos 15 cães, sendo 5 filhotes, uma cobra, ratos, um coelho e uma porca.

Em um freezer ainda foram encontrados uma ave, um coelho e um cachorro congelados.

Médica mantinha vários animais na casa em situação de maus tratos — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Médica não foi encontrada

A médica Myriam Priscila não foi encontrada no imóvel no momento da ação da Polícia Civil. Ela realiza atendimento em Guaratinguetá, Lorena, Paraty e São José dos Campos.

A suspeita vai responder por lesão corporal, tortura, maus tratos a animais, matar espécies da fauna nativa. No imóvel, a polícia também encontrou uma idosa que vivia com a família, em péssimas condições. Por isso, a médica também vai responder por ferir o estatuto do idoso.

Crimes anteriores

A médica chegou a ser condenada a seis anos de prisão em 2013 por mandar cortar o pênis do ex-noivo em Minas Gerais. O crime aconteceu em 2002 depois que o homem decidiu encerrar o relacionamento poucos dias antes do casamento.

A médica então contratou um grupo de homens que foi pago para mutilar o homem. Ela foi presa no interior de São Paulo. Durante o cumprimento da pena, engravidou de gêmeos e obteve regime domiciliar. A pena já foi totalmente cumprida.

Além desse caso, ela responde por uma tentativa de homicídio contra uma mulher em Barbacena (MG). O caso está em fase de alegações finais do processo.

O g1 tenta contato com a médica investigada, mas não obteve sucesso até a publicação da reportagem.

Comentários