Covid-19: saiba por que você não morreu e nem morrerá do vírus embora seja contaminado

25 de Julho de 2020

Ivan Rodrigues

No dia 06 de maio, eu Ivan Rodrigues, enfermeiro, cheguei em Manaus para trabalhar no combate ao novo coronavírus na linha de frente com mais duas centenas de profissionais de saúde entre enfermeiros, médicos, biomédicos, fisioterapeutas e técnicos de enfermagem convocados pelo Ministério da Saúde na ação Estratégica Brasil Conta Comigo.

Quando comecei a atuar no Hospital Dr. Aristóteles Platão, na famosa zona leste da cidade, comecei a estudar os prontuários dos atuais e ex-pacientes que vieram a óbitos pela Covid-19.

Entre os atuais pacientes internados no segundo andar, mais conhecido como ENFERMARIA COVID ,e, os da UTI; de abril a julho, analisando mais de cem prontuários, vi que o fator de comorbidade tinha uma prevalência de 80 a 87% nesses pacientes dos quais foram a óbitos. Veja uma amostragem em tabela abaixo.

Coronavírus, Covid-19
DM: se refere a diabetes. HAS: hipertenso. PNM: pneumonia. IRC: Insuficiência renal crônica
Coronavírus, Covid-19

Os poucos pacientes, de 13 a 20%, que não apresentavam comorbidades: diabetes, hipertensão, cardiopatias, asma, doença pulmonar obstrutiva crônica, ou seja, doenças crônicas mais comuns, eram os pacientes, que na grande maioria evoluíam com melhoras significativas da Covid-19.

Os demais, que possuíam alguma comorbidade eram os que aumentavam as estatísticas dos Boletins Epidemiológico diários de Manaus.

Ao meu ver, o governo deixava de informar a população de forma correta, perdendo também, uma grande oportunidade de um trabalho preventivo de conscientização quando divulgava os números sem explicar o quadro clínico dos pacientes que vieram a óbitos no dia, tantos eram hipertensos, tantos eram diabéticos, tantos eram cardíacos…

Sem isso, a população ficou sem orientações de prevenção, e principalmente apavorada diante de tantas desinformações da mídia sensacionalista.

Nós como exemplo, dos 281 profissionais que estiveram em Manaus no combate ao coronavírus, nem 10% foram contaminados, e os que foram infectados se recuperaram, apenas uma permanece internada em boa evolução diária.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças crônicas não transmissíveis são responsáveis por 63% das mortes no mundo. No Brasil, são a causa de 74% dos óbitos.

A Covid-19 é letal para essa parcela da população que possui comorbidades, e realmente precisa ter maiores cuidados. Se você não compõem ou não se enquadra nesse grupo de risco, dificilmente estará nos próximos Boletins Epidemiológico.

9 Comentários

  • Drº Éric Fuin disse:

    Como médico, para esse enfermeiro eu bato palmas. Conseguiu avançar na verdadeira situação dos óbitos sem ao menos se preocupar com os críticos que só sabem criticar sem nada formular. Carimbo e assino em baixo de sua analise pois estou certo que esta é a verdadeira avaliação para além da Globo.

  • Ítalo Andrade disse:

    Comungo do mesmo pensamento do enfermeiro, uma vez que estou atuando no hospital 28 de Agosto, na linha frente desde o início da pandemia em Manaus.

  • Obrigado por trazer luz no meio de tantas noticias tenebrosas’

  • Erivelto Carvalho Machado disse:

    Mais de 289 mil pessoas morreram de doenças cardiovasculares em 2019, Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).
    Veja: câncer, diabetes, doenças pulmonares e cardiovasculares matam 41 milhões de pessoas a cada ano, respondendo por 71% de todas as mortes no mundo, diz OMS.
    As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) incluem as doenças do aparelho circulatório, diabetes, câncer e doença respiratória crônica, constituindo a maior carga de mor-bimortalidade no mundo e sendo responsáveis por 63% das mortes globais. Essas doenças acarretam perda de qualidade de vida, limitações e incapacidades…, fonte scielo.
    Estes estão dentro das estatísticas normais, e, agora, mais propensos a morreram de covid-19, em uma escalada quase que normal, pois apresentam sobrevidas. Ou, seja, já estão lutando diariamente pela vida, fazendo uso das mais variadas medicações.
    Perfeita análise, Drº enfermeiro, Ivan Rodrigues.

  • Williane Jessika disse:

    Olha aí meu presidente! JAIR MESSIAS BOLSONARO

    Nomear para exercer o cargo de Ministro de Estado de Saúde do Brasil, Ivan Rodrigues, enfermeiro.

  • Luíza Menezes disse:

    Olhar clínico e cirúrgico da situação com ampliação de nossas visões para a pandemia. Realmente, os boletins epidemiológicos não nos dão a clareza das mortes por covid-19.
    Entre as 31 vítimas deste sábado (25), quantos tinham comorbidades associadas que prejudicaram e aumentaram suas chances de óbitos? Isso, ninguém quer ou se interessa em publicar para melhor entender os perfis desses óbitos. Parabéns enfermeiro, Ivan Rodrigues, pela vontade de contribuir com milhares, também me incluo, que estávamos embebecidos de tantas informações sem valia.

  • Diego disse:

    Parabéns , agora sim as palavras vieram de fonte segura !

  • Drº Sebastião Luiz disse:

    Perfeita avaliação com exemplos que não nos deixam dúvidas. Parabéns enfermeiro, Ivan Rodrigue, por nos trazer à clareza quando muitos estão politizando o vírus.

Leave a Comment