Menina de 11 anos, sofreu estupro, estrangulamento e teve o corpo queimado enquanto ainda estava viva – rapaz de 22 anos

Por: Redação

O corpo de Bianca Rodrigues Siqueira Lima foi localizado no sábado, dia em que completaria 12 anos de vida. Bianca foi raptada e violentada pelo ex-companheiro de uma filha do padrasto dela, que queria se vingar do ex-sogro. O rapaz, de 22 anos, foi preso e confessou o crime.

A menina que estava desaparecida em Paraíba do Sul (RJ) e foi encontrada morta sofreu estupro, estrangulamento e teve o corpo queimado enquanto ainda estava viva. O corpo de Bianca Rodrigues Siqueira Lima foi localizado na noite de sábado (23), dia em que completaria 12 anos de idade.

As informações são da Polícia Civil, com base no resultado da necropsia e na confissão do homem preso em flagrante apontado como o autor do homicídio. O rapaz, de 22 anos, é ex-companheiro da filha do padastro da vítima.

“Ele informou que havia levado Bianca para um local rural de Paraíba do Sul, onde havia mantido relação sexual com ela e depois provocado sua morte através de esganadura. Uma vez morta, Bianca havia tido seu corpo queimado pelo próprio rapaz”, detalhou o delegado Cláudio Batista Teixeira, responsável pela investigação.

“O resultado da necropsia traz informações compatíveis com o relato do rapaz. Todavia, traz evidência de que Bianca foi agredida antes de morrer e morreu não em função da esganadura, mas em função da queimadura de seu corpo, uma vez que havia vestígio de fuligem em seu pulmão”, acrescentou o delegado.

O acusado foi preso na tarde de sábado, em Chiador (MG), cidade a cerca de 40 km de Paraíba do Sul, para onde fugiu depois de incendiar o corpo da vítima em uma área de mata dentro de uma propriedade rural no distrito de Inconfidência, com acesso através da Estrada dos Macacos.

Já preso, ele levou os policiais até o local onde ocultou o corpo de Bianca. Em seguida, foi conduzido até a delegacia de Paraíba do Sul, onde continuava detido na tarde deste domingo (24).

“Ele foi autuado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Se a gente conseguir constatar, através do exame pericial completo, a informação que ele passa de que houve relação sexual, ele também vai ser autuado, posteriormente, pelo crime de estupro de vulnerável”, explicou o delegado.

A previsão é que ele seja transferido nesta segunda-feira (25) para um presídio do complexo penitenciário do estado do Rio de Janeiro e vai passar por uma audiência de custódia. Com base nas evidências e na confissão, a tendência é que ele continue preso.

“Algumas pessoas ainda estão sendo ouvidas. Vamos aguardar todos os exames ficarem prontos e encaminhar um inquérito para a Justiça”, completou Cláudio Batista Teixeira.

Crime motivado por vingança

O crime teria sido motivado por uma vingança do autor do homicídio com o padrasto da vítima, que é pai da ex-companheira dele.

Segundo informações apuradas com exclusividade pelo g1 com a Polícia Militar, que acompanha o caso de perto, o rapaz culpava o ex-sogro pelo fim do relacionamento e viu em Bianca uma oportunidade para atingi-lo.

“Ele tinha uma relação próxima com a família. Tem filhas com uma filha do padrasto da Bianca. Então, não era uma pessoa estranha. Há relatos de que, com o final do relacionamento com a filha do padrasto de Bianca, ele fez ameaças a todos da família”, acrescentou o delegado Cláudio Batista Teixeira.

População se mobilizou nas buscas

A notícia do desaparecimento havia se espalhado entre os moradores e também pelas redes sociais, gerando uma grande comoção na cidade. As informações eram de que a menina não era vista desde as 14h de sexta-feira (22).

No início da noite, a família de Bianca procurou a delegacia de Paraíba do Sul para contar que a menina saiu de casa em direção à residência da avó e, no caminho, foi raptada por um homem de moto.

“Eles já trouxeram algumas informações, no sentido de que ela tinha sido vista na companhia de um rapaz, trafegando na garupa da moto desse rapaz, que era conhecido da família. A gente começou a entender que a Bianca subiu naquela moto convencida de que estava ali com uma pessoa próxima, com uma pessoa do universo dela, com uma pessoa que ela poderia confiar”, disse o delegado.

“Então, imaginávamos que, encontrando o rapaz, encontraríamos ela em segurança. E ali a gente teria a notícia do que e por que aquilo aconteceu”, acrescentou.

A mobilização para as buscas por Bianca cresceu e envolveu policiais civis e militares, guardas municipais e a população. O desaparecimento também vinha sendo divulgado para órgãos de segurança de cidades próximas. A força-tarefa se estendeu pela madrugada.

Cartazes espalhados pela cidade pediam informações — Foto: Reprodução/Redes sociais
Cartazes espalhados pela cidade pediam informações — Foto: Reprodução/Redes sociais

As primeiras informações sobre o paradeiro do, até então, suspeito de raptar Bianca chegaram na manhã de sábado: a notícia era de que ele havia sido visto em Chiador, cidade para onde fugiu depois de ocultar o corpo da menina, onde tem familiares.

Imediatamente, os policiais militares do Serviço de Inteligência do 38º BPM, que atua em Paraíba do Sul, entraram em contato com a corporação da cidade mineira e passaram informações sobre o suspeito, como características físicas e da moto dele.

Pouco tempo depois, o rapaz foi localizado e preso. Ele confessou o crime e levou os policiais até o local onde havia ocultado o corpo de Bianca.

“Através das informações que nós já tínhamos e através da colaboração do próprio rapaz, nós chegamos ao corpo, que estava escondido dentro de uma propriedade rural na Estrada dos Macacos. O cenário, que até então a gente custava a acreditar, se mostrou evidente. A Bianca, que completava 12 anos, foi brutalmente assassinada e teve seu corpo queimado por esse rapaz”, lamentou o delegado.

No momento em que chegou na delegacia de Paraíba do Sul, uma multidão revoltada com a atrocidade do crime tomava conta do local, cobrando Justiça.

Enterro reuniu familiares e amigos

O enterro de Bianca Rodrigues Siqueira Lima foi realizado na tarde deste domingo, no Cemitério São José, em Três Rios. O velório começou ao meio-dia, assim que o corpo foi liberado do Instituto Médico Legal. O sepultamento aconteceu às 15h, com a presença de familiares e amigos.

Por Vinicius Lima, Nathan Alves e Giovani Rossini — Paraíba do Sul, RJ

Comentários