Por prescrição de ivermectina, direito ao exercício da medicina está sendo suspenso

Por: Ivan Rodrigues

A licença do médico assistente (PA) Scott C. Miller foi suspensa no mês passado pela Comissão Médica de Washington depois que ele promoveu a ivermectina como uma cura para Covid-19 e a prescreveu “sem exame adequado para pacientes”, disse o Washington Medical Commission (WMC) em um comunicado na época.

Também no mês passado em Connecticut, a Dra. Sue McIntosh entregou sua licença médica após ser acusada de assinar formulários falsos de isenção de vacina da Covid, conforme noticiou New Britain WVIT .

Agora, a Dra. Mary Bowden (foto acima) foi suspensa do Houston Methodist Friday por espalhar informações errôneas e perigosas na semana passada, sobre a Covid-19 nas redes sociais, ela acabou pedindo demissão do hospital.

Ela classificou as prescrições de vacinas como “erradas” e elogiou a polêmica medicação ivermectina como um tratamento certo para a Covid-19 várias vezes em sua conta do Twitter, apesar das autoridades de saúde pública alertarem contra isso.

“Eu me libertei do Metodista e agradeço muito a enxurrada de apoio que recebi!” escreveu. “Sinceros agradecimentos a todos vocês que chegaram com palavras gentis.”

Em 8 de novembro, Bowden tuitou que ela só trataria pacientes não vacinados em seu consultório particular e tuitou, “as prescrições da vacina estão erradas”.

Dra. Mary Bowden promoveu a ivermectina, um medicamento antiparasitário, como um tratamento para Covid-19 várias vezes em seu Twitter. Em 14 de novembro, ela tuitou: “A ivermectina funciona” e, em 10 de novembro, escreveu: “A ivermectina pode não ser tão mortal quanto todo mundo disse que era“.

O Houston Methodist suspendeu Bowden, dizendo que ela recentemente se juntou à equipe médica da unidade e “está usando suas contas de mídia social para expressar suas opiniões pessoais e políticas sobre a vacina COVID-19 e os tratamentos”.

“Desde quando isso é um motivo para tirar os privilégios hospitalares de alguém?” disse Bowden. “É espantoso para mim, como médica, não ter direito à minha opinião médica”.

O Dr. Marc Boom, presidente e CEO da Houston Methodist, disse em uma declaração: “Quando a Dra. Bowden se recusou a remover essas declarações imprecisas e enganosas de suas contas de mídia social, a liderança da equipe médica decidiu suspendê-la enquanto eles conduziram uma investigação e a convidaram para falar com eles. Em vez de fazer isso, a Dr. Bowden se demitiu voluntariamente da equipe médica antes que uma revisão fosse concluída. “

“Como médico, estou pessoalmente ofendido por seu comportamento e por seus comentários enganosos sobre COVID-19 e nosso sistema hospitalar”, finalizou.

A Food and Drug Administration não autorizou ou aprovou a ivermectina para uso na prevenção ou tratamento de Covid em humanos ou animais, declarando, “a ivermectina não se mostrou segura ou eficaz para essas indicações”. O FDA disse que, para humanos, os comprimidos de ivermectina são aprovados em doses muito específicas para tratar alguns vermes parasitas, ou formulações tópicas para piolhos e doenças da pele como a rosácea.

Comentários