Crime de homofobia no Metrô-DF

Por: Redação

Estação do Metrô de SP

O desentendimento no Metrô do Distrito Federal, ocorreu por causa de uma musica dentro do vagão que seguia para a cidade de Ceilândia, DF.

No sábado (26), por volta das 18h, um grupo de quatro homens jovens, entrou no Mêtro na estação da 103 Sul em Brasília, que seguia para a estação final da cidade de Ceilândia. Poucos minutos após entrarem no vagão, um dos jovens colocou uma música em seu celular, que era transmitida através de uma caixa de som que estava em sua mochila.

Dois dos jovens que faziam parte do grupo começaram a cantar, quando o homem que estava ao lado reclamou da musica e da cantoria pedindo que parassem com a “festa”, pois ninguém era obrigado a ouvir aquela musica.

>Preconceito, racismo e discriminação praticados contra negros e homossexuais

Começou um pequeno desentendimento entre eles, com agressões verbais, até a estação ParkShopping, quando os jovens se posicionaram para desembarcar do vagão, o homem extremamente irritado, gritou ao grupo chamando-os de “pederastas” e proferiu a seguinte frase:

Se os pais continuassem levando os filhos para o puteiro, não haveria tanto gay no mundo

Os jovens fizeram gestos obscenos, dando dedos para homem, e seguiram juntos.

O Supremo Tribunal Federal (STF) permitiu a criminalização da homofobia e da transfobia. É enquadrada em atos preconceituosos contra homossexuais e transexuais em crime de racismo.

O portal S&DS – Saúde & Direitos Sociais entrou em contato com o mêtro DF, perguntando sobre possível ocorrência junto ao órgão, que gentilmente respondeu, hoje (28), não haver até a presente data, nenhum registro.

Comentários

  • Marileide disse:

    Nenhum lado estava certo. Os grupo de jovens erraram em ouvir som alto no metrô. Realmente ninguém é obrigado a ouvir som alto e se eu não estiver enganada é até proibido som alto no metrô. É uma questão de bom senso e educação. O senhor poderia ter reclamado sem fazer comentários homofóbicos. Ninguém tem razão.