Rede Sarah de hospitais recusa pacientes da Covid-19

Por: Redação

Amplamente criticada por não ceder espaço de suas amplas e milionárias instalações mantidas com o dinheiro daqueles que clamam por leitos de UTI para tratamento da Covid-19, a Rede Sarah de hospitais parece criar resistência para receber esses pacientes. Não tem Presidente da República nem Ministro da Saúde que convença a Rede Sarah decidir em favor do povo, que morrem aos milhares no Brasil. Vergonha! Vergonha! Para as ditas autoridades.

Como as autoridades máximas não resolvem, a Procuradoria da República no DF entrou na briga em nome daqueles que irão às urnas em 2022embora a Procuradoria da República não seja candidata a nada.

A mesma requereu informações sobre a situação do Sarah de se eximir-se em receber pacientes portadores do Coronavírus, quando todos os hospitais públicos, particulares e Organizações Sociais (OS) estão ajudando no enfrentamento da pandemia, uma vez que sua unidade recebe milhões de reais por ano em verbas públicas federais.

Não convenceu!

Em ofício ao MPDFT e MPF, para justificar porque não recebe pacientes com COVID19 da rede pública de saúde de Brasília, a Rede Sarah informou que suas nove unidades no país – inclusive na capital federal – trata cerca de 1,5 milhão de pacientes por ano para reabilitação, a maioria deles de idade avançada e de grupo de risco para o Covid-19, em leitos especificamente para os internados, sem poder paralisar estes tratamentos. 

Cirurgias 

Em resposta ao repórter do Colunistas – Leandro Mazzini, a Rede Sarah informou que, em Brasília, a unidade está recebendo “vários casos graves de pacientes para cirurgia de tumores cerebrais do Hospital de Base”, e que por isso suas UTI’s estão lotadas. 

Epidemia de Covid ou de tumores cerebrais em Brasília?

Desde o início da pandemia do novo Coronavírus no Brasil, a Rede Sarah se mostrou não parceira nesta luta, a justificativa é vergonhosa, assim como para nossas autoridades sem autoridade, que ainda pensam em governar esta nação.

Os pacientes graves a serem transferidos da SES, até hoje não foram transferidos para o Sarah Centro, contrariando o acordo feito com o MPDFT e MPF. Esses leitos diminuiriam a lista de pacientes em sofrimento que aguardam uma vaga de UTI. Salvar vidas importam!

Comentários