‘Prefiro ter um filho gay, a um machista espancador de mulheres,’ afirma mãe em defesa do filho

Por: Ivan Rodrigues

Local da ocorrência.

Hoje, às 07:45, uma mãe foi defender seu filho de agressões de seu companheiro, na cidade do Riacho Fundo I, em Brasília, quando também foi agredida.

O fato ocorreu na Quadra 06 conjunto 01, próximo a uma casa que é ocupada por travestis, onde seu filho conversava do lado de fora com um dos ocupantes da residência, quando foi surpreendido por seu genitor com tapas e bofetões contra o mesmo.

Segundo vizinhos, a mãe que vinha atrás de seu marido ao tentar defender seu filho também sofreu agressões. Agarrada a seu filho começou a gritar vária vezes pela rua:

“Prefiro ter um filho gay, a um machista espancador de mulheres.” “Prefiro ter um filho gay, a um machista espancador de mulheres.”

De acordo com conhecidos, a mulher se chama Maria Regina e tem 03 filhos com o companheiro, não sendo a primeira vez a defender o filho em idêntica situação.

Comentários

  • Bruno M. Novais disse:

    O Bruno é gay? Assim todos perguntavam para minha mãe. Fui exorcizado, me encheram de comprimidos, cheguei até confesso, me relacionar com uma moça, mas definitivamente aquele não era eu. Apoio familiar zero! Naquela época, ter um gay na família era uma desorar total. Abandonei meus queridos irmãos e peregrinei para SP, onde hoje vivo. Minha mãe morreu não aceitando ter um filho gay. Essa mãe até apanhou junto! Enquanto a minha não me deu nenhum apoio.

  • Adelino disse:

    Em 1995, quando contei para minha mãe que era gay, acabei em um consultório psiquiátrico e por anos, tomando remédios para mim curar da “doença”, segundo meus genitores. Quem dera essa fosse minha mãe.