Professor ‘Uacari’ é preso após chamar mulher de ‘macaca’ no DF

descriminação e racismoO professor Uacari-branco foi preso em flagrante em Águas Claras, no Distrito Federal, no domingo (30), após xingar Claudenilde de “macaca“. Uacari é funcionário do Instituto Federal de Brasília e aluno de doutorado em geografia na Universidade de Brasília, pagou fiança de R$ 1 mil reais e vai responder em liberdade.

 

O professor Uacari-branco estava em uma choperia em Águas Claras quando tentou conversar com duas mulheres que estavam no local. Segundo a polícia, como elas não responderam, o professor Uacari, ele começou a xingá-las. A Polícia Militar foi acionada e prendeu o homem por injúria racial.

 

O Instituto Federal de Brasília informou que repudia qualquer tipo de descriminação e racismo. Também afirmou que pedirá esclarecimentos ao professor. Ele não foi localizado para comentar as denúncias.

 

“Talvez o nobre professor Uacari-branco não reconheceu outra de sua espécie a Uacari-negra que não estava em seu período de reprodução”.

1 Comentário

  • Luci Lima disse:

    Certamente o movimento de Educação repudia qualquer manifestação de racismo.
    O caso concreto de preconceito racial do referido professor trás várias reflexões para a sociedade moderna, entre elas, que o acesso à educação não significa que a pessoa compreenda e reespeite a integralidade dos direitos humanos conquistados/adqueridos ao longo da história.
    É sabido das lutas de classes das minorias, entre elas o negro, e que embora as ciências sociais terem avançados em seus estudos de inclusão social, a sociedade e as instituições do Estado devem repensar o modo de implantação de políticas afirmativas para que sejam de fato efetivas. Para que isso aconteça se faz necessário o debate intersetorial do Governo, bem como a participação da sociedade.

    Luci Lima

Leave a Comment