Arrastões no Rio de Janeiro, um mau necessário

Rio de Janeiro arrastões“esconde a grana, o relógio e o cordão. Cuidado vai passar o arrastão!”

Em 1992, a palavra – arrastão – chamou a atenção do país, após uma onda de roubos e assaltos nas praias da zona sul do Rio de Janeiro.

Depois de vinte e três (23) anos, o que mudou na política de inclusão dos ‘favelados’ no ceio da sociedade politicamente correta? Nada! Continua o império da repressão policial em detrimento do investimento em educação de qualidade no Rio de Janeiro.

“Se tiver um ônibus com adolescentes que não pagaram a passagem, que estão descalços, de bermuda e sem documentos, eles serão levados para a delegacia, e os pais terão que ir buscar. Da última vez prendemos 112, parentes de apenas cinco menores foram buscá-los. Isso não é normal. Se querem que o filho vá para a praia, tem que acompanhar e dar condições para o filho passar o dia na praia” governador Luiz Fernando Pezão.

Não governador Luiz Pezão! Os arrastões são males necessários para mostrar ao mundo a ineficiência de um estado burguês muito distante de promover equidades sociais.

Não defendemos a desordem, mais sim, a ordem democrática, social, soberana e igualitária para todos.

3 Comentários

  • PMRIO disse:

    Bom dia senhor Ivan.
    Não vou me identificar por questão de segurança. Há nove anos atrás eu engressava na policia militar do Rio de Janeiro, eu era uma pessoa boa, tive minha personalidade comprometida em razão da corrupção aqui dentro.
    Vivo sobre o silêncio de várias chacinas, sequestros das quais tive conhecimento praticadas por policiais. Não abandono esta máquina de atrocidades chamada polícia em razão de três filhos para cuidar. Quando estou na zona sul em serviço, muitas vezes penso em sacar milha pistola e alvejar esta burguesia que alimenta o tráfico e a criminalidade. Estou à beira de um ataque de nervos, como no filme Um dia de fúria! Precisava desabafar, gostaria que não comentasse sobre meu desabafo. Estou aliviado agora. Quero voltar a ser eu mesmo.

  • Junior disse:

    Ué, se são um mau necessário, então por que você não vai lá para o meio do arrastão pedir para que os vagabundos levem todos os teus pertences? 😀

    • Prezado Junior, recentemente estive no Rio de Janeiro, fiquei na zona sul – Ipanema, Leblon e Copacabana – e enfrentei arrastões. Sabia que poderia acontecer! Mas vejo além de minhas mordomias, olho e vejo um bolsão de exclusão. Ninguém esta seguro em seus luxuosos condomínios, carrões importados, filhos em escolas particulares, prédios com segurança máxima…Só estaremos seguros, quando tirarmos os olhos de nosso próprio umbigo. Rio mostra sua cara!

Leave a Comment