A privatização da Hemodiálise

O site Orçamento Transparente e o blog Em Defesa da Saúde apuraram que o GDF repassou, no período de janeiro de 2007 a 16 de dezembro de 2009, mais de R$ 53,8 milhões a clínicas particulares que realizam tratamentos de hemodiálise nos pacientes que não conseguem atendimento na rede pública de saúde. Se esse valor fosse aplicado nos hospitais do Distrito Federal, os doentes renais poderiam contar com 1076 novas máquinas de hemodiálise. A estimativa da Associação de Renais de Brasília é de que o DF necessita de 70 novos equipamentos.

Os dados dos repasses do GDF estão no Sistema Integrado de Gestão Orçamentária (SIGGO). O pagamento a clínicas particulares não é ilegal, mas é uma prática utilizada para contornar a estrutura insuficiente e a queda no número de transplantes renais. O problema é que o que era para ser emergencial tornou-se definitivo. Em 2007, foram gastos R$ 18,8 milhões com pagamentos a clínicas particulares. No ano de 2008 foram transferidos R$ 16,2 milhões Os dados consolidados até 16 de dezembro deste ano indicam que os repasses devem aumentar em 2009, pois já foram gastos R$ 18,9 milhões.

Em entrevista concedida à rádio CBN, o presidente da Associação de Renais de Brasília, Carlos Alberto Rosa, afirma que os milhões gastos pelo GDF seriam suficientes para equipar a rede pública com várias máquinas de hemodiálise, já que empresas oferecem o produto por cerca de R$ 50 mil. Sobraria ainda dinheiro para pagar o salário de novos médicos especializados no atendimento a quem sofre de doenças renais e de enfermeiros e auxiliares.

Ele estima que a compra de 70 máquinas e a contratação de 45 profissionais acabaria com a sobrecarga. “No final das contas, sairia tudo mais barato”. Carlos denuncia que os pacientes estariam fazendo apenas uma hora diária de hemodiálise, em vez das quatro recomendadas, e que muitos pacientes não estariam nem sendo atendidos. “Hoje temos pessoas morrendo na fila até chegar a uma máquina de hemodiálise, porque nem as redes privadas estão absorvendo os doentes do DF”, critica Carlos Rosa.
Orçamento Transparente – [email protected]

Leave a Comment