Especialização de hospitais é aposta para gerar eficiência

Por: Ivan Rodrigues

Nove unidades de saúde federais do Rio de Janeiro vão passar por mudanças para se tornarem referência em áreas cirúrgicas

Nos próximos dois meses, seis hospitais federais e três institutos no Rio de Janeiro vão passar por mudanças para elevar a eficiência na gestão dos recursos e ampliar os atendimentos. Cada unidade deverá se especializar em procedimentos específico para que se torne referência em cada área.

Cada hospital terá um perfil cirúrgico para aumentar a quantidade desses procedimentos. Desse modo, será possível fazer compras em escala, diminuindo os custos. Setores com baixa produção em uma unidade serão realocados para outra, onde a estrutura existente poderá ser melhor aproveitada pela população.

“Este trabalho certamente vai ser muito útil para convergir em nosso esforço de dar produtividade, eficiência e qualidade de serviço nos hospitais federais do Rio. Teremos mais cirurgias sendo realizadas e com equipes preparadas para atender a esse aumento”, afirmou o ministro Ricardo Barros.

Também será contratada uma consultoria com especialistas em administração hospitalar do Hospital Sírio Libanês (SP) para promover nos seis hospitais federais e nos três institutos o funcionamento em rede, possibilitando o ganho em escala e em especialização, reduzindo custos e construindo uma rede mais eficiente para a população.

A contratação da consultoria se dará pelo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), que possibilita às entidades de saúde de referência assistencial participar do desenvolvimento do Sistema Único de Saúde, transferindo tecnologias de gestão e de atenção úteis para serem adaptadas pela rede pública, além de desenvolverem pesquisas de interesse do SUS.

Fila Única

As medidas ainda preveem a criação de uma fila única para o atendimento à população. Pela proposta, as filas de pacientes que necessitam de cirurgia serão inseridas na Central Única de Regulação. Esses pacientes serão assistidos pelas redes federal, estadual e municipal de saúde e demais prestadores conveniados ao SUS e, assim, poderão ser atendidos mais rapidamente. Os estados têm até o dia 10 de junho para inserir todos os pacientes que aguardam por cirurgias e exames em uma fila única.

“Todos os cidadãos saberão o seu lugar na fila, por isso a importância da fila única. Todos saberão o momento da sua cirurgia e a central que distribuirá as cirurgias”, ponderou o ministro.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Saúde