Pós impeachment de Dilma, mulheres só chegarão novamente ao poder executivo, daqui a 50 anos

A ex-presidenta Dilma Rousseff também sofreu processo de impeachment – a exemplo do ex-presidente Fernando Collor – ela foi afastada por 180 dias, neste período assumiu o seu vice-presidente Michel Temer.

Com a posse de Dilma em 2011, o Brasil tornou-se o primeiro país de Língua Portuguesa a ter uma mulher eleita na presidência da república.

Em todo o período republicano, uma única mulher foi empossada na presidência da república, Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores (PT), eleita pelo voto direto, em 31 de outubro de 2010 e empossada em 1° de janeiro de 2011, sendo reeleita em 26 de outubro de 2014 e reempossada em 1° de janeiro de 2015. No Império do Brasil, assumiram interinamente a regência do país apenas a imperatriz Leopoldina e a Princesa Isabel.

Uma mulher subirá novamente a rampa do Palácio do Planalto, para a faixa presidencial receber, passados (50) anos de impeachment de Dilma.

1 Comentário

  • Eudes disse:

    Bom dia,
    Acho que é apenas a titulo de “curiosidade” a matéria. Até porque o problema da Dilma além do que ela foi julgada é que prometeu uma coisa em seu segundo mandato e fez outra, aumentou os impostos e tinha prometido o contrário.

    Ivan, gosto das matérias que você redige. Gostaria só de salientar que ela sofre processo de Impeachment não por ser mulher e sim por ter cometido muitos erros. Eu acredito que ela cometeu estelionato eleitoral (prometeu o que queriam ouvir) e não cumpriu.
    Ah No brasil não se vê partido de direita… PSDB, PSB, PT são de esquerda, sendo o primeiro de centro-esquerda.

Leave a Comment