Humanização do Sistema de Saúde em Relação aos Servidores


Márcia Cristina Sousa O.
Téc. Enfermagem

A enfermagem é um sacerdócio, Profissão cheia de oportunidades para amar, cuidar, ensinar, transformar…
Mas quando nos deparamos com a condição em que se encontra a realidade, começamos a sofrer interferências negativas.
Somos profissionais que lidamos com o ser humano no seu momento de maior fragilidade, necessidade e dor.
Momento onde ele tenta encontrar em você um refúgio, e você deixa de atuar em sua função e se torna um pouco de mãe, psicóloga, filha, amiga, assistente social… Momento de deixar tudo de lado e saber amar.
Que valentia! Quanta beleza há nesses gestos de amor. Profissionais que driblam o cansaço, se doam, ouvem, cuidam, ajudam mesmo quando quase não dá…
Quase não dá pela frustração do sistema falido que não ajuda que não responde a necessidade de um cidadão que passa a vida pagando impostos e na reta final não pode contar com o serviço pelo qual ele pagou, não é um favor, é obrigação do Estado, isso dói para quem vê quem está perto.
Por dever de ofício lidamos todos os dias com a dor do próximo e ainda temos que conviver com a dor do descaso que infelizmente assola toda a área de saúde nesse país chamado Brasil.
Quase não dá porque cansa dar e não receber, olhar e não ser olhado, ouvir e não ser ouvido, alguém precisa parar e cuidar de quem cuida, pra que esses valentes estejam fortalecidos para a batalha do dia a dia, se sentirem acolhidos e assim estar um pouco melhor para enfrentarem essa realidade tão dura que se mistura ao privilégio do sacerdócio, que devia ser maravilhoso!
Que comece agora, que seja uma semente esse desabafo, que alguém faça algo para ajudar e nós continuaremos a acreditar que dias melhores virão.
Quando se cuida de quem cuida tudo se torna mais fácil e gratificante.

Para meditar:

Eu sem amor sou como sino mudo, que é sem som e é vazio de tudo.
Eu sem amor seria como a ave que não consegue sair do chão.
De que me vale um sino que não soa e como é triste a ave que não voa.
Se eu não tiver amor eu não terei valor.
Se eu não tiver amor serei alguém ferido.
Se eu não tiver amor me faltarão amigos.
Se eu não tiver amor em vão terei vivido.
Se não tiver o dom maior, o amor.
Ao meu redor eu vejo gente triste ,meu coração já quase não resiste, ao ver milhares que não tem abrigo e vem pedir um pedaço de pão, se eu fecho os olhos para o seu pedido e me recuso a atender o aflito,então não entendi que amar é bem servir.

1 Comentário

  • Sonaldo disse:

    É uma realidade triste, mas infelizmente é uma realidade. Nesta secreta falta tudo, menos corruptos e gente incompetente nos cargos mais importante.
    Quando em um hospital , como HBDF, falta sonda de aspiração, seringa de 10 ml ,etc……… é por que a coisa deve estar feia em outros hospitais da rede. Para fazer o serviço funcionar minimamente os profissionais de enfermagem saem peregrinando por todos os setores do hospitais pedindo aos seus pares que lhes forneçam alguma quantidade de matérias para que os “ PAGADORES DESSES EXTORSIVOS IMPOSTOS ” não morram por falta de cuidados mínimos.

Leave a Comment