Sem o Mais Médicos, eleitora chama o presidente eleito de “Bolsolini” em alusão a Mussolini

Crédito: José Cruz / Agência Brasil

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) divulgou nota nesta quinta-feira (15) na qual informou que a saída de cubanos do programa ‘Mais Médicos’ afetará 28 milhões de pessoas.

A nota, assinada pelo presidente da entidade, Glademir Aroldi, ressalta que a saída dos 8,5 mil profissionais cubanos pode deixar cerca de 28 milhões de pessoas pelo país sem assistência médica caso não haja substituição dos profissionais.

Aroldi ressaltou que, segundo dados da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), 1575 municípios são atendidos apenas por médicos cubanos, e que 80% dessas localidades têm até 20 mil habitantes.

Dessa forma, a saída desses médicos sem a garantia de outros profissionais pode gerar a desassistência básica de saúde a mais de 28 milhões de pessoas.

O presidente da entidade também alerta que a situação aflige os prefeitos e pode “levar a estado de calamidade pública” e pede solução rápida da questão.

Na quarta (14), o presidente eleito Jair Bolsonaro informou que o governo cubano decidiu deixar o programa por não concordar com testes de capacidade e discordarem da vinda dos familiares dos profissionais para o Brasil.

A senhora Maria Sanches, de 81 anos, moradora da cidade de Bauru localizada no município em São Paulo, atendida pelo programa, em conversa conosco, desfere palavras a Bolsonaro que remota aos anos 1922. 

Com este radicalismo do nosso presidente, o qual votei, só me vem como desabafo dizer que elegemos o nosso “Bolsolini”.  

O secretário de Saúde, José Eduardo Fogolin Passos, de Bauru (SP), afirmou que deixarão de ser realizados 3.840 atendimentos por mês com a saída dos médicos cubanos.

O Ministério de Saúde Pública de Cuba informou ter tomado a decisão em razão das “declarações ameaçadoras e depreciativas” do presidente eleito Bolsonaro.

Em campanha, Bolsonaro declarou que “expulsaria” os médicos cubanos do Brasil.

Atualmente tem no PMMB 16.730

 

COOPERADOS CUBANOS: 8.563

INTERCAMBISTA INDIVUDAL – médicos brasileiros formados no exterior, sendo aproximadamente 3.439

CRM – sendo aproximadamente 4.726 médicos formados no Brasil (CRM)  

COOPERADOS CUBANOS POR REGIÕES DO BRASIL

  • REGIÃO NORTE (Tocantins, Acre, Pará, Rondônia, Roraima, Amapá e Amazonas)

APROXIMADAMENTE: 1.360 médicos cubanos

  • REGIÃO CENTRO-OESTE (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal)

APROXIMADAMENTE: 471 médicos cubanos 

  • REGIÃO NORDESTE (Bahia, Sergipe, Alagoas, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão)

APROXIMADAMENTE: 2.043 médicos cubanos 

  • REGIÃO SUDESTE (Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo)

APROXIMADAMENTE: 2.476 médicos cubanos 

  • REGIÃO SUL (Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná)

APROXIMADAMENTE: 1.357 médicos cubanos

 

3 Comentários

  • Veronice disse:

    Meu Deus! Os cubanos contribuiram muito sim pelo o Brasil, com o programa mais médicos, isso vai fazer sim muita diferença para população.
    São tantas cidades que estava sem médicos. 🤔

  • Aluísio Freitas disse:

    Mito! Que nada! Para mim, agora é PENICO DE PRESIDENTE! OH VOTO JOGADO FORA! SÓ FALTA COLOCAR O TEMER COMO EMBAIXADOR!

  • Ana Beatriz Lins disse:

    Filhinho de papai e mamãe, formados com dinheiro público, na ESCS – Escola Superior de Ciências da Saúde no DF, na qual os professores de medicina e enfermagem não prestaram concurso público, estão totalmente ilegais e o governador e o MPDFT fazem vistas grossas. Quer uma vaga? Ah! você não é filho desses professores!!!

Leave a Comment