PSL de Bolsonaro quer levar o distrital Roosevelt Vilela PSB para sua legenda

O subtenente Roosevelt Vilela

A avassaladora multiplicação do PSL no congresso nacional, que elegeu a segunda maior bancada na Câmara dos Deputados, com (52) cadeiras das 513 vagas do parlamento, ficando atrás somente do PT com (56) cadeiras, quer se estender a Câmara Legislativa do Distrito Federal.

 

O PSL conseguiu maioria nas assembleias de 4 estados a saber: Rio de Janeiro, Paraná, São Paulo e Espírito Santo. No Rio, o partido saltou de 2 para 13 deputados estaduais. Em São Paulo, o partido conseguiu 15 cadeiras e teve a deputada estadual mais votada da história do país: Janaína Paschoal teve mais de 2 milhões de votos.

 

Em apenas 5 estados e no Distrito Federal o partido não conseguiu eleger nenhum representante nas assembleias legislativas. 

De olho nos deputados militares eleitos fora de sua agremiação, é que o partido pretende buscar aproximações com esses novos deputados, a exemplo do distrital eleito Roosevelt Vilela (PSB), subtenente do Corpo de Bombeiro do DF, que o diretório regional do PSL tem como meta de tê-lo em seus quadros, expandindo sua bancada distrital e estadual.

 

A Lei dos Partidos Políticos e a Resolução 22.610/2007 do TSE, que trata de fidelidade partidária, estabelecem que parlamentares só podem mudar de legenda nas seguintes hipóteses: incorporação ou fusão do partido; criação de novo partido; desvio no programa partidário ou grave discriminação pessoal. Mudanças de legenda sem essas justificativas são motivo para a perda do mandato.

 

A Reforma Eleitoral de 2015 (Lei nº 13.165/2015), no entanto, incorporou à legislação uma possibilidade para a desfiliação partidária injustificada no inciso III do artigo 22-A da Lei dos Partidos Políticos (Lei nº 9.096/1995). Segundo esse dispositivo, os detentores de mandato eletivo em cargos proporcionais podem trocar de legenda nos 30 dias anteriores ao último dia do prazo para a filiação partidária, que ocorre seis meses antes do pleito.

 

Sabemos das dificuldades que nos impõem a legislação eleitoral, mas temos uma meta, e nosso presidente eleito quer os militares eleitos do seu lado e para tanto estamos em conversações com esses parlamentares, afirmou o membro do direto (PSL) que pediu para não ser identificado.    

Serviço de atendimento à saúde PM-DF

Deputado Roosevelt destina 500 mil em emenda parlamentar para restabelecer o serviço de atendimento à Saúde aos policiais militares do DF. #Saúde #Segurança #PMDF #SaúdeÉPrioridade

Publicado por Roosevelt Vilela em Quarta-feira, 1 de junho de 2016

 

Leave a Comment