Celular roubado pode ser bloqueado pelo site da Polícia Civil do DF

Programa tem objetivo de coibir comércio ilegal de aparelhos. De outubro de 2017 a fevereiro deste ano, 1,1 mil unidades foram inutilizadas no período de teste

população do Distrito Federal já pode bloquear, pelo site da Polícia Civil, celulares que tenham sido roubados ou furtados. Desde outubro de 2017, o programa Fora da Rede passa por testes, período em que 1,1 mil unidades foram bloqueadas.

A partir desta semana, ele entra plenamente em vigor, para permitir que usuários possam inutilizar aparelhos furtados. Dessa forma, outros chips não poderão ser habilitados nos telefones, medida que desestimula a prática criminosa.

Somente será possível o bloqueio de celulares habilitados desde 22 de fevereiro — não antes —, quando a Anatel firmou parceria com o DF e Goiás. A medida começa efetivamente em 9 de maio.

70%Porcentual dos roubos a pedestres em que o alvo dos bandidos é o celular

Até lá, os usuários com celulares irregulares serão comunicados sobre a inutilização dos aparelhos por mensagem de texto (SMS).

Para que o bloqueio seja possível, é necessário que a vítima faça o registro da ocorrência de roubo ou furto na delegacia mais próxima ou por meio da Delegacia Eletrônica.

Para isso, é necessário informar o número da linha, o nome e o CPF do titular (caso não seja a própria vítima) e o número do Imei (International Mobile Equipment Identity, na sigla em inglês).

O Imei não é obrigatório no caso de registro presencial em uma das delegacias de polícia, mas facilita a validação das informações, o que garante o efetivo bloqueio. Aparelhos celulares com mais de um chip possuem mais de um número desse registro.

Levantamento feito pela Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social em 2017 mostrou que, em 70% dos roubos cometidos contra a pedestres, o alvo dos bandidos era o aparelho celular.

Os cidadãos podem denunciar o comércio ilegal de aparelhos também por meio do site da Polícia Civil ou pelo disque denúncia, telefone 197, opção 0.

Outra opção é mandar um e-mail para [email protected] ou ainda pelo WhatsApp (61) 98626-1197.

 

DA AGÊNCIA BRASÍLIA, COM INFORMAÇÕES DA SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA

Leave a Comment