Mesmo com 370 milhões de viagens realizadas em 2017, população vê como ruim o transporte público do DF

Foto: Renato Araújo/Agência Brasília.

Para 59% da população que utiliza o transporte público diariamente (38%  só transporte público coletivo; metrô, bicicleta e motocicleta 11% e a pé ou/e transporte público 10%),  segundo dados da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD), feita pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), o transporte público da capital é visto como ruim.   

 

Segundo especialistas, as 370 milhões de viagens realizadas em 2017, de acordo com a Secretaria de Estado de Mobilidade ao site #SaúdeDireitosSociais&Inovações pela Lei de acesso a informação,  deveriam ser compostas de melhorias constantes do sistema, com estudos e participação ativa dos usuários, fato que não se agrega para o prol melhoramento, pelo contrário, no caso do usuário é o último a ser levado em consideração.


Secretaria de Estado de Mobilidade

 

Prezado Ivan, A Secretaria de Estado de Mobilidade informa que das 370 milhões de viagens realizadas em 2017, a Ouvidoria recebeu 2719 manifestações referentes à conduta do motorista. A maior parte dessas reclamações se refere ao tratamento inadequado do preposto com o usuário. Esclarece que nenhum registro foi inserido como denúncia. A fim de evitar tais reclamações, o Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) lançou em maio do ano passado o Programa Mobilidade e Gentileza, com o objetivo de conscientizar passageiros e rodoviários do sistema de transporte público do DF. A ação visa alertar para o exercício da cidadania e para a adoção de comportamentos saudáveis de convivência. Entre as ações realizadas em 2017 estiveram às palestras ministradas para os rodoviários das empresas e o concurso que elegeu os rodoviários mais gentis do sistema. Neste ano o projeto continua e espera atingir cada vez mais os seus objetivos, a fim de melhorar os serviços prestados no Sistema de Transporte Público Coletivo do DF . Atenciosamente, Serviço de Informação ao Cidadão/SEMOB

Protocolo: 00098.000232/2017-82

No Distrito Federal, o número de passageiros que usam o metrô ou ônibus caiu em 15%. A média diária passou de 1 milhão em 2016 para 850 mil este ano, segundo pesquisa da Associação das Empresas Brasilienses de Transporte Urbano de Passageiro (Abratup). Os motivos são a má qualidade dos serviços e a crise econômica.

Para o presidente da Codeplan, Lúcio Rennó, é preciso colocar mais ônibus nas linhas principais do Plano Piloto, bem como divulgar horários exatos em que coletivos passam em cada parada para incentivar a procura.

 

Quem ganha menos…

 

A pesquisa aponta que nas cidades com população de renda baixa, como Varjão, Itapoã, Paranoá, Recanto das Emas e Santa Maria, entre 56% e 65% usam o ônibus para percorrer grandes distâncias até chegar ao trabalho. Deste total entrevistado, 35% precisam se deslocar até o Plano Piloto para trabalhar.

 

Representantes do povo  não usam o transporte público

 

O site procurou saber quais dos deputados federais, distritais e senadores usam o transporte público de Brasília. Em contato com suas assessorias e pessoalmente, nenhum dos referidos parlamentares optam pelo transporte público.

Veja a resposta que mais se repetiu nas vozes dos representantes do povo: 

Como tenho uma agenda cheia, seria difícil honrar os compromissos com a utilização do transporte público. 

De certo que o povo também tem uma agenda cheia de compromissos diários com trabalho, escolar, saúde, bancos… 

Parlamentares em transporte público, hospitais públicos…”a coisa mais pobre que já vi”, diria você em seu próprio ‘mirror’ da falta de consciência de si mesmo.  

Ivan Rodrigues pelo simples prazer de informar.

Leave a Comment