STF, Raquel Dodge e o desserviço à nação brasileira

Presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, saúda procuradora-geral da República em sua primeira participação no Plenário

Não é de hoje, nem de ontem e, certamente ouviremos no futuro que a justiça está politizada por causa dos acordos infringentes à soberania da nação”. Algumas pessoas até se arriscam a dizer que confiam na justiça, eu não!

Em que pesem os valorosos esforços de magistrados sérios, do Ministério Público em zelarem pela justiça – a tentativa é cada vez mais claramente infrutífera e não contribui para extirpar o câncer que se alastrou.

O grande desafio é combater o câncer é a metástase institucional, isto é, a disseminação de Gilmar Mendes, Alexandre de Moraes, Marco Aurélio que deixaram o tumor primário e colonizaram-se nos tecidos de última instância da justiça. 

É essa metástase institucional que, em primeira e última análise, mata a nossa soberania, liberdade,  acaba com a dignidade comprometendo os vários órgãos públicos ao mesmo tempo.

 

Ninguém acima da lei, ninguém abaixo da lei. O zelo pela dignidade humana pode ser expresso neste mote. Ninguém é superior a outrem, a ponto de não ser tocado pela lei. Ninguém é inferior a outrem, a ponto de sequer ser protegido pela lei.

RAQUEL DODGE, PROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA

 

“…a ponto de não ser tocado pela lei.” Os tocados pela lei são aqueles que não conseguem recorre a instância superior, reús que não detêm foro privilegiado.  

Não surpreende-me, portanto, que mais de 80% das brasileiros não acreditam na forma de justiça de vossas excelências.

Nação é alma, consciência, sentimento, humanismo, cidadania e apotegma de valores. Nação é o povo na intuição da fraternidade, da justiça e da liberdade; nação é direito, integridade e dignidade cívica na comunhão do destino, na solidez compacta dos valores, no patrimônio dos tempos onde jaz a grandeza das tradições; na memória perpétua e coletiva da identidade, na correnteza das idéias que perenizam a energia do povo em se manter uno na adversidade e estóico na amargura dos reveses. PAULO BONAVIDES  

Ivan Rodrigues é enfermeiro e blogueiro pelo simples prazer de informar.

Leave a Comment