REFLEXÕES SOBRE A DECADÊNCIA DA SOCIEDADE MODERNA

Decadência Moral        

John Stott foi um líder anglicano britânico, conhecido como uma das grandes lideranças mundiais evangélicas. Foi um dos principais autores do pacto de Lausana, em 1974. Em 2005, a revista Time classificou Stott entre as 100 pessoas mais influentes do mundo, médico e teólogo declara em seu livro [Ouça o Espírito, Ouça o Mundo], o homem encontra-se em uma decadência moral buscando amar coisas e usar pessoas trocando os valores divinos de Deus que é amar as pessoas e usar coisas, pois a maldade do homem é de dentro para fora, do seu coração. (Stott, 2005, p.18).

Por isso o crescimento das obras da carne como exemplo claro, a violência de acordo com o estudo da CEBELA (Centro Brasileiro de Estudo Latino-Americano) que analisa os derradeiros 30 anos de violência homicida no país, se constata densa mudança nos modelos históricos. Aponta as fundamentais propriedades da evolução dos homicídios em todo o país: nas 27 Unidades Federadas, 27 Capitais, 33 Regiões Metropolitanas e nos 200 municípios com elevados níveis de violência. Sem contar com a prostituição, ódio e divórcios, estas coisas estão destruindo a sociedade e os valores inerentes de uma civilização.

Essa Sociedade moderna atual está sendo induzida por um sistema mundano, que o principal motivo é mostrar para o homem que os desejos da carne são coisas normais e que não tem nada a ver, viver uma vida aceitando as obras da carne.

Eis aqui, pois, o paradoxo da nossa contradição humana: nossa dignidade e nossa depravação. Nós somos igualmente capazes do mais sublime gesto de nobreza e da mais vil crueldade. Num momento podemos comportamos como Deus, cuja imagem somos criados, para logo depois agirmos como animais, dos quais deveríamos diferir completamente.

Foram os seres humanos que inventaram os hospitais para cuidar dos doentes, universidades onde se cultiva a sabedoria, assembleias e congressos para o governo justo dos povos, e igrejas onde adorar a Deus. Mas foram eles também que inventaram as câmaras de torturas, os campos de concentração e os arsenais nucleares. Estranho e incrível paradoxo! Nobre e ignóbil, racional e irracional, moral e imoral, divino e animal! Como diz C. S. Lewis através de Aslam, o homem ‘descendente de Adão e Eva é honra suficientemente grande para que o mendigo mais miserável possa andar de cabeça erguida, e vergonha suficientemente grande para fazer vergar os ombros do maior imperador da Terra. ’

“A Religião que Deus o nosso Pai, aceita como pura e imaculada é essa: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se deixar corromper pelo mundo. Tiago 1:27 –  (Tradução NVI).

Deixe uma resposta